Twitter Facebook

03/07/2007: Turismo

Poçinhos do Rio Verde

Tem como destaque, um clima muito agradável, típico de montanhas, com média anual de 18° C

Poçinhos do Rio Verde é uma estância hidromineral, distrito de Caldas, possui cerca de 1000 habitantes, e está localizado no Sul de Minas, a 280 Km de São Paulo. O pequenino Distrito possui um Balneário para banhos que situa-se, às margens do Rio Verde, em uma área totalmente arborizada, dispondo de total infraestrutura para banhos quentes de imersão, hidromassagem, sauna a vapor e três fontes radioativas, alcalino-sulfurosas e bicarbonatadas - sódicas.

Possui amplo espaço para realização de caminhadas, passeios de charrete, bicicletas e cavalgadas.

Suas fontes, são: Samaritana, Rio Verde e São José, cujas águas radioativas, alcalino-sulfurosas e bicarbonatadas - sódicas têm composição similar às de Vichy, na França, possuem propriedades medicinais comprovadas e são indicadas para tratamentos medicinais diversos.

Dentre as montanhas e a vegetação exuberante, há inúmeras cachoeiras, cascatas e rios, destacando-se a Cascata Antonio Monteiro, o Rio Soberbo, a Cachoeira da Rapadura do Rio Capivari, Cachoeira da Margarida e Cachoeira da Saudade, no Rio Pardo.

A topografia merece especial atenção e sugere excelentes trilhas para caminhadas. Da Pedra do Coração, que fica a 1350m de altitude, no topo da Serra do Maranhão, onde se vê toda a cidade de Caldas. A Pedra Branca, a 1850m de altitude, é o ponto mais alto da região. Seu vale é cheio de grutas e cavernas, ideal para aventuras e aventureiros, de mais fácil acesso é o Morro do Galo, onde fica a Capela de Santa Terezinha.

A Fazenda Experimental EPAMIG pesquisa as frutas de clima temperado e contribui para o desenvolvimento tecnológico das fazendas apoiando os produtores locais.

A produção local inclui hortifrutigranjeiros, vinhos, queijos, doces, malhas e tecidos de tear manual tradicional.

Além da natureza, a tranqüilidade encontrada em pequenas cidades mineiras, é o que cerca Poçinhos, tornando o clima ainda melhor.

As raízes históricas de Caldas iniciaram-se no Séc. XVIII, quando desbravadores penetravam na região em busca de ouro, fazendo com que fossem abertas vias e estradas entre os povos descobertos. Desiludidos, passam a ocupação às “fazendas de criar”, no inicio do ciclo pastoril, primeiro instante do povoamento e desenvolvimento dos Campos de Caldas.

Surgiu então, em 1813 o núcleo urbano: Arraial denominado Rio Verde das Caldas, passa a vila em 1830, e em 1859 torna-se a cidade de Caldas.

Começou com seu ponto turístico, no séc. XIX, após a descoberta das águas de Poçinhos do Rio Verde, o cultivo da uva e a fabricação de vinhos, doces e queijos.

DESDE 1888 O GRANDE HOTEL POCINHOS RECEBE TURISTAS DE TODAS AS PARTES DO MUNDO

Considerado o hotel mais antigo do Brasil em funcionamento, sem ter durante todos esses anos paralisado suas operações , o Grande Hotel Poçinhos é uma referência na hotelaria nacional e tem orgulho de hospedar o ex Presidente da República Getúlio Vargas

Em Maio de 1882, o futuro fundador do Grand Hotel, o Sr. Nicolau Tambasco Glória, chega da Itália, vindo para Caldas, adquirindo terras para plantação de Uvas próximas ao Rio Verde.

Eram dois os caminhos que cruzavam o local, um ligava o município de Ouro Fino ao de Cabo Verde e o outro ligava o município de Pouso Alegre a Poços de Caldas e São João da Boa Vista.

Tornou-se então, uma parada praticamente obrigatória para os viajantes que estariam no local, fazendo com que o Sr. Nicolau tivesse a idéia de construir um Hotel de Pau a pique, para atender os tropeiros e viajantes que passavam pelo local, com isso, em 1884 o futuro Grand Hotel, foi construído, tendo inicialmente, o nome de Hotel Rio Verde.

A ampliação do Hotel deve-se à divulgação do poder curativo das águas Sulfurosas que brotavam nas terras do futuro balneário. A partir deste momento, um novo ciclo de demanda passou a ser predominante no hotel, tendo como principal segmentação, a saúde. Foi comprovada a eficácia medicinal das águas de Poçinhos, no momento em que o país enfrentava sérios problemas a cerca da saúde da população. Com isso, pessoas de diferentes localidades vinham à procura dos locais de tratamento para seus males. Dentre estas localidades, estavam o Balneário de Poçinhos do Rio Verde, assim como o Grand Hotel.

Com propaganda feita “boca-a-boca”, muitos dá época confirmaram ter obtido os resultados esperados em seus tratamentos.

Exemplo verídico de um desses resultados é o caso da Sra Iolanda Rabelo, que ao obter a cura, prometeu construir a capela que atualmente pode ser vista no Morro do Galo, dedicando-se a Santa Teresinha.

Após o falecimento do Sr. Nicolau, em 1911, o hotel passou a ser propriedade de sua viúva, Maria Alexandrina Tambasco e filhos. Em meados de 1914, o hotel foi vendido pela mesma ao Dr. José Paiva e sua esposa, Madame Pellissier, que mudaram o nome para Grande Hotel de Pocinhos.

O hotel foi, em toda sua historia, reformado e ampliado diversas vezes. O que pode ser constatado ao conhecer o belo empreendimento. Tais mudanças surpreendem-se ao se passar pelas alas decoradas com belos pisos, em sua arquitetura e em seu acervo original com destaque para as mobílias. Encontra-se até hoje no arquivo do hotel, o Livro de Impressões de Hospedes de 1919 a 1923, onde foram deixados diversos elogios prestigiando o empreendimento, proprietários, serviços prestados pelo hotel e também a comprovação do poder de cura das Águas de Poçinhos do Rio Verde.

O hotel passou novamente por mudanças, sendo então, administrado pelo Sr. Paulo Pellissier, que o gerenciou até 1946, quando passou a ser administrado pela família Aliberti. Após 1950, já conhecido como Grande Hotel Poçinhos.

Mais uma vez, o hotel foi vendido, passando a ser administrado pelos atuais proprietários, o Sr. Elias Guimarães Borges e a Sra. Rossana Suaid Porto Guimarães Borges.

O Grand Hotel possui desde sua construção até hoje, 58 apartamentos, todos decorados com mobiliário original do hotel. Alguns dos banheiros preservam ainda algumas peças raras e mesmo mantendo os aspectos históricos, há uma certa preocupação em atender às exigências atuais dos hospedes, sendo assim, várias melhorias físicas já foram executadas.

Com tudo isso, o hotel destaca-se, por proporcionar momentos sadios e seguros de lazer para adultos e crianças durante todo o ano, quando deixam as grandes cidades em busca de tranqüilidade e também por possuir o título de “Hotel mais antigo do Brasil em funcionamento”, fácil acesso e por estar próximo a divisa de Minas Gerais; O Grande Hotel Pocinhos possui 59 apartamentos equipados com aquecimento central e tv em cores.

Para o lazer o hóspede dispõe de piscina adulto e infantil, sauna a vapor, campo de futebol e volley gramado, sala de jogos, sala de tv , com coleção de filmes especiais em dvd, sala de leitura, lojinha de conveniências, jardins, paly-ground e casa de boneca, restaurante e american bar, bar de piscina e equipe de recreação para adultos e crianças. Vale a pena andar a cavalo ou charrete, fazer passeios de bicicletas, visitar as várias cachoeiras da cidade ou simplesmente conferir um pouco da história do hotel, visitando o apartamento onde o ex Presidente do Brasil se hospedou por diversas vezes.

Para o mês de junho, diárias promocionais a partir de R$ 130,00 o casal com pensão completa.

Durante as férias de julho diárias a partir de R$ 180,00 o casal incluindo todas as refeições. Durante o mês das férias acontece na cidade a famosa Festa do Biscoito em sua 17 edição prometendo reunir em Pocinhos do Rio Verde, boa música, ótima gastronomia e brincadeiras como quadrilha, danças típicas bingos e gincanas para crianças.

Galeria de fotos





Outras Notícias:

01 02 03 04 05 06 07 08 - Próxima

























EDITORIAIS