Capa da Página A Autocrítica - Cidadania - JC Notícias Capa da Página

Icone previsão PARÁ DE MINAS - 18º MIN 31º MAX

Cadastre seu e-mail e receba nossas novidades

Icone IconeNotícias - Cidadania

15/11/2018 às 09:27h

A Autocrítica

Facebook

De certo, quando à frente do espelho ou no sossego da cabeça no travesseiro, ou quem sabe ainda desnudos no banho diário possamos ter um momento de olhar interno e verificar quem somos de verdade. Mas trata deum exercício carregado de certa dificuldade uma vez que sempre somos levados a ver em nós o melhor. Isto não é repreensível. A autocrítica é um exercício complexo e merece em nós um despendimento de tamanha força que nos deixamos vencer por alguns vícios a ter a nobreza da reflexão racional.

Assim sendo melhor recorrer a alguma literatura para ajudar na entrada nos rincões de nosso interior.

Veja-se os vícios, veja-se as virtudes, qualquer destas duas formas são válidas para esta introspecção.

Hoje recomendo duas obras antagônicas quanto ao conteúdo mas que nos ajudam a caminhar no sentido da introspecção. Nada de livros de autoajuda! Vamos aos clássicos que sobrevivem séculos.

A Barca dos Insensatos de Sebastian Brant (1494) pese ter sido escrito há vários séculos ainda mantem-se atual. Cobiça, arroubos amorosos, pessoas surdas a conselhos, casamento por dinheiro, soberba, inveja, ódio, desprezo e blasfêmias a Deus, preguiça são um dos 114 temas tratados na obra.

Na minha edição (Editora Octavo) fez-se acrescentar as ilustrações da época atribuídas a Albrecht Dürer que colaboram na formação da desejada reflexão. As gravuras retratam néscios (pessoas ignorantes) geralmente em situações constrangedoras e sempre com “chapéus de burro” (orelhas pontudas).

Para cada uma das reflexões Brant coloca as pessoas na pior de suas performances. O exame de consciência sempre é reforçado por ações que cometemos no dia-a-dia que são severamente criticadas com uma ironia sem igual. Nestes momentos, mesmo que involuntariamente relembramos o Ato de Contrição do Catecismo: “Senhor, tenho muita pena de ter pecado, pois mereci ser castigado e ofendi a vós, meu Pai e Salvador e a meus Irmãos. Perdoai-me meu Jesus”.

Vemos que nem sempre é orando contrito que nos redimimos, mas tendo o mau mostrado que se instala em nós também como forma de explicitar a necessidade de melhora pessoal. Confesso que nos sentimos mal com a leitura... mas um mal reflexivo e necessário. O mal-estar, no mais das vezes necessário, é uma contribuição para a melhora na nossa relação conosco mesmos e com os nossos semelhantes.

De outro lado até mesmo como um contraponto a Sebastan Brant, sempre é bom ter algo mais alegre, mas ainda um caminho à autocrítica desejável ao engrandecimento pessoal. Para tal, recomendo obra da qual já tratei nesta coluna: O Pequeno Tratado das Grandes Virtudes de André Comte-Sponville. Obra mais contemporânea (1995) que nos ensina a ser, viver e praticar as Virtudes. Técnica de um lado, mas de classificação filosófica a obra de Sponville trata de 18 virtudes que, segundo o autor, seriam capazes de transformar o ser humano em uma pessoa melhor na relação consigo e com o próximo.

Eu já tive a ousadia, e mantenho o dito, que esta obra deve sempre estar junto a Bíblia na leitura. A Bíblia tem causado muita confusão religiosa, atualmente prefiro este que é mais universal no sentido de que não aborda uma religião e sim recomendações de vivência independentemente de crenças.

Ambos autores nos faz refletir: se de um lado Brant aponta o pior de nós, de outro Sponville dá o caminho ideal para o homem. Se um nos leva a depressão com o mau que encontramos dentro de nós, o outro reacende a chama da esperança com o caminho a ser seguido depois do choque de realidade do primeiro.

Somente uma autocrítica é capaz de nos fazer melhor. Mas como iniciei no texto, solitários pode ser complexo, e necessitemos de um auxílio. Fica aqui minha recomendação de leitura para o exercício do exame de consciência, baseado em duas grandes obras que facilitarão o caminho para sermos verdadeiramente bons.

Ronaldo Galvão


Galeria de fotos

Clique nas imagens para ampliar: