Capa da Página Leitura obrigatória para o estudante de Direito - Cidadania - JC Notícias Capa da Página

Icone previsão PARÁ DE MINAS - 13º MIN 27º MAX

Cadastre seu e-mail e receba nossas novidades

Icone IconeNotícias - Cidadania

02/05/2018 às 11:14h

Leitura obrigatória para o estudante de Direito

Facebook


(para os formados também)

1 – “A Arte de Fazer Acontecer” (David Allen)

Cursar direito não é simplesmente ir para a faculdade, esse é um curso que tem a capacidade de mexer com a vida de todos os estudantes, em todos os níveis que se possa imaginar. Essa obra nos faz refletir se estamos realmente preparados para lidar com uma infinidade de livros, materiais, datas e tarefas, além de anotações, provas, objetivos pessoais e a organização dos seus sonhos, para conquistar o tão desejado título de advogado. David Allen, em seu livro, vai te ajudar a lidar com questões de organização pessoal, para que assim você possa garantir seu sucesso.

2 – “A Arte da Guerra” (Sun Tzu)

Essa obra é um clássico, que deveria ser obrigatória sua leitura não só no curso de direito, mas em todas as faculdades. O livro fala de como devemos nos comportar e sempre utilizar o conhecimento estratégico, preparo e postura diante de situações difíceis. O autor mostra que precisamos encarar os momentos de turbulência sem nos fazermos de vítimas da situação. Compre um exemplar de “A Arte da Guerra” e estude-o. Há muitas lições e uma profunda filosofia nesse livro.

3 – “Um Pilar de Ferro” (Taylor Caldwell)

Esse é um romance sobre a vida de Marco Túlio Cícero, conhecido e renomado orador e advogado na época da Roma Antiga. Neste livro, você vai conhecer alguns cenários que fizeram parte da vida de Cícero, como por exemplo, a sua contratação para atuar em escritório de advocacia, seguida da sua contratação para trabalhar em cargos públicos. Cícero ficou conhecido por usar discursos honestos e patrióticos, com o objetivo de esconder a podridão existente na política, além de uma defesa criminal no qual Cícero tem uma vitória espetacular.

4 – “O Primeiro Ano – Como se faz um Advogado” (Scott Turow)

O autor, nessa obra, relata as suas experiências como estudante de direito em Harvard. O livro permite que o leitor tenha a oportunidade de ter contato com um universo diferente do que é vivido nas escolas de direito brasileiras.

5 – “Manual de Redação da Presidência da República” (Brasil)

O estudante de direito pode utilizar este livro para treinar a forma correta de se escrever, como um verdadeiro jurista faz. Esse manual ainda apresenta dicas e explicações que podem ser utilizadas em qualquer tipo de processo. Ao usar esse manual durante seus estudos, fica muito mais fácil conseguir passar em provas, como a da OAB.

6 – O Processo (Franz Kafka)

A obra narra o percurso de Josef K. no que se refere às instâncias de um processo, cuja personagem é réu. A trama se dá pela falta de conhecido teor que rodeia sua fundamentação. A obra chama a atenção pelas reflexões realizadas pelo protagonista, que busca entender o sentido da existência, a arbitrariedade e a morte.

7 –  Crime e castigo (Fiódor Dostoiésvski)

A trama se dá por meio de um estudante pobre e desesperado, que vagava pelas ruas de São Petersburgo. Em um dado momento da obra, o rapaz comete um crime. Há elementos que perpassam o romance que são a visão sobre religião e o existencialismo. Tais ferramentas fazem com que o leitor se veja diante de pensamentos filosóficos, sociológicos e psicológicos contextualizados na segunda metade do século XIX e do século XX.

8 – O Mercador de Veneza (William Shakespeare)

Alguns classificam O Mercador de Veneza como uma comédia. Todavia, há elementos típicos do romantismo. O destaque vai para a habilidade de Shakespeare em colocar elementos trágicos em uma obra que termina em casamentos e reconciliações. Tal manipulação evidência os requintes de um escritor capaz de manipular a opinião pública em meio a personagens dúbios e ardilosos.

9 – O Príncipe (Nicolau Maquiavel)

A obra é considerada o maior tratado político de todos os tempos. Desde que foi lançado, concluído, em 1513, continua sendo, até hoje, objeto de muitas discussões acadêmicas, para estudos e análises.

10 – O sol é para todos (Harper Lee)

A história ocorre em 1930, no Sul nos Estados Unidos, nessa época as conjunturas políticas, econômicas e sociais, estavam a todo vapor por conta da guerra civil que ocorria nesse período. Durante a obra, você vai acompanhar os desafios éticos e morais que o protagonista da história vive, principalmente depois de assumir um caso em que ele precisa defender um negro que foi acusado de ter estuprado uma mulher branca.

11 – 1984 (George Orwell)

Em “1984”, Orwell retrata um contexto histórico em que se pensar e se relacionar com outras pessoas pode ser proibido. A enredo conta a história de um líder que tem como lema “Guerra é paz; liberdade é escravidão; ignorância é força”, e o que acontece com quem não segue esse lema?

12 -A verdade sobre o caso de Harry Quebert(Joël Dicker)

Dicker em seu livro, conta a história de uma jovem de 15 anos que se relaciona com um famoso escritor que tem o dobro de sua idade. Após alguns anos, o corpo da jovem é encontrado no quintal da casa dele, o que o torna o principal suspeito do crime. Esse livro permite que o estudante de direito compreenda a necessidade de se conhecer todos os cenários e questionar tudo o que acontece em torno de um crime antes de tomar qualquer decisão.

13 – Mataram a cotovia (Harper Lee)

“Mataram a cotovia” é considerado pelos críticos como sendo um dos melhores romances do século XX, tanto que ele venceu o Prêmio Pulitzer de ficção em 1961, e por conta do seu contexto. O romance passa durante a época da Grande Depressão nos Estados Unidos. Atticus Finch, advogado e patriarca da família, tem um caso delicado para vencer, que envolve o preconceito presente nos tribunais da época, cheio de racismo. A defesa de um jovem negro acusado de violação, traz a tona o debate sobre temas controversos, e que sempre são discutidos como a luta de classes.

14 – O Advogado Mafioso (John Grisham)

O livro conta a história de um advogado fora do comum, que defende apenas casos que nenhum outro advogado quer trabalhar. Para ele não interessa se o cliente é culpado ou inocente. Ele acredita que todo cidadão deve ter direito a um julgamento justo, nem que para isso ele tenha que quebrar as regras da justiça.

15 – Em Defesa de Jacob (William Landay)

O autor, conta nesse livro a história de Andy Barber, um procurador-adjunto da cidade de Newton, ele é designado a comandar uma investigação de homicídio. Ao encontrar novas evidências do crime, ele fica diante de um impasse, pois, seu filho é o principal suspeito do crime.

Por Ronaldo Galvão

Galeria de fotos

Clique nas imagens para ampliar: