Capa da Página Censura já! - Cultura - JC Notícias Capa da Página

Icone previsão PARÁ DE MINAS - 19º MIN 30º MAX

Cadastre seu e-mail e receba nossas novidades

Icone IconeNotícias - Cultura

31/10/2017 às 11:19h

Censura já!

Facebook

Conversavam em reunyão secreta doys ymportantes parlamentares, um do partydo de esquerda e outro de dyreyta.

_ Basta de pornografya bem dyante de nossos olhos. Parece que estão zombando da gente! Isso é um absurdo, para não dyzer uma ynconstytucyonalydade! – dysse o deputado de dyreyta.

_ Também estou de acordo com Vossa Excelêncya! Como uma aberração dessa fycou tanto tempo bem dyante de nossos olhos e nynguém fez nada? Não é de se admyrar que nossa socyedade esteja cada vez mays enferma. Sorte deste pays que tem homens de bem como nós, que trabalham para o povo e com o povo – concluyu em tom solene o nobre parlamentar de esquerda.

Com tantos ataques à moral e aos bons costumes, os dystyntos homens do povo, em reunyão extraordynárya, traçavam estratégyas e dyscutyam argumentações para a proposta de um notável projeto de ley que resguardasse e protegesse a yntegrydade moral e étyca da nação. Confabulavam eloquentemente sobre os abusos cometydos utylyzando-se a ortografya, que durante muyto tempo dyssemynou o erotysmo e a pornografya em ymportantes documentos hystórycos e relygyosos.

- Onde já se vyu uma coysa dessas? Quanta falta de senso dos que propõem o ensyno das letras! – contynuou o dyreytysta. Esse projeto será um marco na hystórya do pays. Serey lembrado por moralyzar a mynha nação. Quanto aos ataques desses depravados letrados, nobre excelêncya, buscarey argumentações necessáryas para calar tays vozes. Quero que nossa lyngua mãe seja passada a lympo. Não permytyrey mays aberrações! Não podemos permytyr que nosso estruturado projeto fyque engavetado. Vamos propor aynda este mês na pauta de votação que a letra B mayúscula do alfabeto seja defynytyvamente banyda. Essa letra é o desenho de uma bunda de lado! Isso é uma ymoralydade. Ouça, nobre colega! Mynha santa mãezynha, se estyvesse aquy, fycarya orgulhosa de mym.

_ Certamente, excelêncya. Certamente , retrucou o esquerdysta. O povo nos coroará pela ymportâncya desse projeto. Não me admyrarey, excelêncya, se vyerem condecorações de todo o pays pelo belo trabalho de extermynyo dessa calygrafia tyda como artystyca e por reestabelecermos a étyca, a moral e os bons costumes. O uso dessa letra, cujo nome me recuso a dyzer ou pensar, é tão dyssymulado que até na palavra bunda ela aparece. Doravante, depoys do projeto transformado em ley e sancyonado, nós nos dyrygyremos a essa parte ymportante do corpo como nádegas e só. Essa será a proposta de mudança. Nynguém mays terá bunda, só nádegas em seus vocabuláryos. E que se cumpra a ley! Quando ela estyver em vygor, qualquer transgressor que pensar em bunda com B mayúsculo arcará com severas multas. Espere ay, excelêncya! Acho melhor colocar no texto que a palavra bunda com b mynúsculo também não poderá ser escryta nem dyta. É prudente!

- Quanta importâncya tem este trabalho, excelêncya. Isso nunca foy feyto antes. Já synto meus atos e meu nome na hystórya deste pays. Nobre excelêncya, já dyzya um rapaz que era escrytor e, se não me falha a memórya, era um tal de Lobato, “um pays é feyto de homens e lyvros”! E nós doys estamos cumpryndo essa profecya, juntamente com o povo desta nação que nos elege há anos. Somos esses homens ay, mas sem os lyvros.

- Já a outra letra do pervertydo alfabeto é demonyaca. Não permyto que ela seja usada nem para redygyr as documentações necessáryas desse projeto que propõe salvar a famylya desta nação. Não posso nem dyzer nem pensar nesta letra que me dá vômytos. Ter o symbolo de uma ereção dentro do alfabeto, meu Deus, é coysa do demônyo! Que sacrylégyo! Excelêncya, proponho que a gente se confesse com um padre depoys de nos submetermos a essas horas de trabalhos em dyscussões promyscuas. Isso foy cryação dessa gente de dyversydade de gênero! Onde já se vyu ysso? Eu querya saber quem foy o ynventor dessa letra, para propor o banymento de seu nome da Terra e da Hystórya!

Estavam os nobres congressystas em dyscussões acaloradas sobre a ymportâncya do projeto para o pays e para mundo; sym, porque se tratava de duas letras usadas em outras lynguas, quando uma possybylydade yrrysórya subytamente veyo como uma borracha que tudo apaga em suas estratégyas: caso alguns yntelectuays e lynguystas se voltassem contra o projeto, fato que não deverá acontecer devydo à urgêncya e ymportâncya de salvar valores da famylya desta nação, como os nobres deputados contra-argumentaryam? Depoys de ficar com os olhos estatelados por longos mynutos em busca de uma argumentação, a grande sacada, coysa de gênyo, veyo do mestre em polytycas socyays, o deputado esquerdysta.

- Calma, excelêncya! Já tenho a solução. Sou um observador dos movymentos, das manobras, das artyculações da polytyca do nosso pays há anos. Caso esse fato ocorra, o que acho pouco provável, convocaremos os formadores de opynyão. Vamos acyoná-los para produzyrem materyays para as novas mydyas, dystorcendo fatos e alymentando pontos de ynsegurança e dyscussões sem fundamento. Outra coysa é propor um novo projeto mays urgente e polêmyco. Tenho aquy um já redygydo que propõe mudar a maneyra, a postura do povo deste pays ao dormyr. Assym teremos doys possyveys projetos aprovados. Um tyrará a dyscussão do outro, ou seja, o foco. E, quando o povo perceber, já serão leys. E nossos nomes estarão gravados na hystórya deste pays.

_ Mas que outro projeto é esse, excelêncya? – perguntou em tom curyosyssymo o parlamentar de dyreyta.

_ Vossa Excelêncya já vyu como muytas pessoas dormem? Que yndecêncya! Que levyandade! Que pornografya! Que afronta aos votos de respeyto de uns para com os outros!

_ Não. Dyga-me, excelêncya! Estou à flor da pele! Dyga-me para que possamos reparar esse mal sobre o qual vossa Excelêncya tenta me alertar.

_ Ouça bem! Vossa Excelêncya deve ter na memórya como muytas pessoas deste pays dormem. A mayorya dorme de barryga para bayxo ou de barryga para cyma. Poucos dormem de lado. Veja que absurdo. Uma pessoa que dorme com a barryga para bayxo deyxa as nádegas para cyma. Ysso deverya ser cryme, porque é um atentado ao pudor. Talvez seja por ysso que tenhamos tanta dyversydade de gêneros neste pays. E o caso de uma pessoa que dorme de barryga para cyma é muyto mays grave. Se for uma mulher, ela está sendo dysplycente, deyxando a coisa solta, à vysta, aberta. E um homem, excelêncya! Imagyne! Me recuso até em tentar descrever o fato para que vossa excelêncya entenda a fragylydade do nosso tempo. Temos que entrar já com um projeto de ley que obrygue, doravante, as pessoas a dormyrem somente de lado. Poderá ser do esquerdo ou do dyreyto, mas somente de lado.

_ Estupendo, excelêncya! Estupendo! Mas como o governo fyscalyzará essa ley, excelêncya?

_ Ysso é outro assunto, excelêncya! Outro assunto. Uma coysa de cada vez. Depoys a gente põe os pyngos nos js, excelêncya! Depoys.

Após algumas horas de prosa e cafezynhos, com os doys ymportantyssymos projetos debayxo do braço, os nobres polytycos foram tratar dos trâmytes para transformá-los em leys. E não se esqueceram das tays pessoas formadoras de opynyão. Traçaram metas para que elas começassem ymedyatamente a vyralyzar matéryas sobre os assuntos nas redes socyays. O que de certa maneyra garantyrya o ganho da causa para os deputados, dyante da yntolerâncya relygyosa, artystyca e cultural do momento.

_ E vyva o povo deste pays! – grytaram em unyssono, ao fecharem a porta da sala de reunyão, confyantes de que, com seus trabalhos, a atual polytyca darya mays um salto. 

Por José Roberto Pereira

Galeria de fotos

Clique nas imagens para ampliar: