Capa da Página EU E O BERNE - Cultura - JC Notícias Capa da Página

Icone previsão PARÁ DE MINAS - 12º MIN 37º MAX

Cadastre seu e-mail e receba nossas novidades

Icone IconeNotícias - Cultura

12/06/2019 às 09:26h

EU E O BERNE

Facebook

Eu conhecia, de ouvir falar, o berne. Um bichinho parecido com bicho de goiaba, que tem como prato predileto nosso sangue. Sai da mosca varejeira um ovinho e, não sei como, se aloja em nossa pele onde cresce e se multiplica.

Quem vive no campo sabe muito bem como tirar esse bichinho do corpo humano ou mesmo de cães. Eles desenvolveram estratégias curiosas. Uma delas é aquecer um pedaço de toucinho e colocar por cima do lugar afetado. Sempre fica um buraquinho por onde o bicho respira, então ele vai preferir o toucinho e salta para fora. Outro procedimento bem popular é colocar um cigarro aceso bem perto do local e aguardar. Incomodado, o bicho pula fora.

Fiquei sabendo de outra estratégia que é colocar uma pasta bem grossa no lugar e abafar. Sufocado o bicho sai com certa facilidade ao se apertar.

Minha experiência foi terrível. Apareceu um ponto vermelho no meu braço e eu pensei ser picada de pernilongo e não me importei. Mas aquilo não sarava, pelo contrário, aumentava. Passei pomadas e nada.

Os dias foram passando e a coceira aumentando. Eu desconfiei do que poderia ser quando começou a dar ferroadas. Mostrei para uma amiga e foi ela a primeira a diagnosticar: isto é um berne! Pesquisamos na internet. Igualzinho! Apavorada com a hipótese de ter um bicho morando no meu braço, decidi acabar logo com aquilo.

Fui ao hospital. Ah! Mal sabia eu o que me passaria!

O médico de plantão, olhou meu braço e apertou com força. Nada do bicho sair. Ele então disse que seria necessário fazer um pequeno corte. Seja o que Deus quiser!

Anestesia, bisturi e eu sem olhar. Então ele me mostrou os pedaços do bicho em sua luva. Será que ficou um pedacinho lá dentro? Se ficou, o corpo elimina! Foi o que o médico disse e deu dois pontos. Antibiótico e anti-inflamatório e lá vou eu de volta para casa sem o bicho e um enorme curativo no braço.

Só tirei o curativo no dia seguinte. Limpei e coloquei bandeide. Meu braço inchou todo e ficou vermelho, coçando. Parecia uma reação alérgica. Me aconselharam a voltar ao hospital e mostrar ao médico. Foi o que fiz. Outro médico estava de plantão e receitou pomada antibiótica e outra antialérgica.

E lá vou eu, medicada novamente, comprar mais remédios. Já estava me saindo caro esse berne!

Com antibióticos, anti-inflamatórios e antialérgicos meu braço não melhorava. Me aconselharam a tomar vacina antitetânica! Céus!

Decidi consultar uma farmacêutica que tem especialização em homeopatia. Ela me aconselhou a tomar gotas de arnica! Que alívio! No dia seguinte o braço estava bem melhor.

Agora, depois de uma semana de dores e aflições, tudo passou. Fiquei com uma cicatriz no braço e um arrependimento enorme de não ter ido consultar a dona Maria que, com um toucinho teria me aliviado na hora e sem cicatriz!!!!!

Por Ângela Xavier

Galeria de fotos

Clique nas imagens para ampliar: