Capa da Página Minha história contada por duas queridas - Cultura - JC Notícias Capa da Página

Icone previsão PARÁ DE MINAS - 20º MIN 29º MAX

Cadastre seu e-mail e receba nossas novidades

Icone IconeNotícias - Cultura

27/06/2019 às 09:42h

Minha história contada por duas queridas

Facebook

No último dia 24 de maio, estive na comunidade de Jaguara de Minas, distrito de Onça de Pitangui, lugar onde nasci e passei boa parte da adolescência, para um bate-papo e lançamento do meu livro “O Servo Fiel: a fascinante biografia de Libério Rodrigues Moreira – o Padre Libério”, editado pela Mosaico Produção Editorial. Fiquei emocionado, principalmente, com três fatos: com o carinho com que fui recebido pela comunidade e pela equipe do Escola Estadual de Jaguara; ao ver a emoção dos jaguarenses ao saberem que um documento datado de 14 de junho de 1927 conferiu a Padre Libério Rodrigues a responsabilidade pela construção da igreja local – a primeira que ele edificou; ao ouvir meu currículo, elaborado pela minha mãe dona Duca (Maria do Carmo Rodrigues Pereira) e pela diretora da escola, Flávia Maia:

“José Roberto Pereira nasceu em 17/9/1974, na casa de sua avó Dilina [Adelina Cândida]. Filho do senhor Manuel Martins Pereira, mais conhecido como Pereira, e de Maria do Carmo Rodrigues Pereira, também conhecida como Duca; sendo ele o filho mais velho do casal, tendo dois irmãos [Geraldo e Diana].

De origem humilde, nunca lhe faltou amor e carinho de sua família. Quando criança, gostava de coroar o Sagrado Coração de Jesus, participava da Folia de Pastorinhos e de Folias de Reis. De família católica, também foi coroinha [Padre Hugo da Costa Bitencourt]. Como toda criança, tinha o sonho de conhecer a Xuxa e foi até BH conhecê-la.

Suas comidas prediletas são mingau de couve, molho de mamão, chuchu, couve com angu e torresmo.

Estudou nesta escola [Escola Estadual de Jaguara] do primeiro ano do ensino fundamental até a oitava série. Sempre foi um ótimo filho e um excelente aluno, nunca precisou que lhe chamassem a atenção para estudar e trabalhar. Fazia as atividades de casa à noite, à luz de lamparina, pois trabalhava o dia todo [nas lavouras de tomate, milho, feijão etc). Gostava de todas matérias e de todos os professores. Tinha um carinho especial pela professora Luzia Marciano (conhecida também como Luzia Morena), pois ela fazia angu baiano para ele, pois sabia que ele não tinha tomado café antes de vir para a escola. O tempo era pouco. Saía da lavoura e passava em casa para um banho rápido. Desde criança, trabalhou com seus pais nas plantações.

Além de escritor, é um grande ator. Escreve para o “Jornal Diário” de Pará de Minas [e site JCNotícias]. Nos momentos de folga, adora fazer pratos típicos.

Já viajou para vários países. Na Itália, assistiu a uma missa do Papa [Francisco] e fez pesquisa para o livro do Padre Libério.

Como sempre, correu atrás de seus sonhos! Ao terminar o ensino fundamental, foi para a cidade de Pará de Minas para fazer o ensino médio. Ele acordava às 5 da manhã, fazia sua marmita e ia trabalhar o dia todo na Cerâmica Beatriz. À noite, estudava. Nessa época [1993], começou a fazer teatro no Grupo Maracutaia. Depois que terminou o ensino médio, ingressou na Fapam [Faculdade de Pará de Minas] e cursou Letras.

Como adora escrever, já publicou vários livros! Sua última publicação recebeu o nome de “O Servo Fiel…”, retratando a fascinante biografia de Libério Rodrigues Moreira, que se tornou um dos padres mais queridos da região centro-oeste. Foram quatro anos de pesquisa. O próprio José Roberto admite que precisou se superar nesse trabalho. Por se tratar de um livro biográfico, o autor respeitou toda a metodologia exigida nesses casos.”

Adorei ver como minha mãe e minha amiga Flávia me veem e como me retrataram. Fiz uma oração em agradecimento. Amém. Amém. Amém.


Galeria de fotos

Clique nas imagens para ampliar: