Capa da Página Cardeal Dom Serafim Fernandes de Araújo morre aos 95 anos em Belo Horizonte - Destaques - JC Notícias Capa da Página

Icone previsão PARÁ DE MINAS - 18º MIN 35º MAX

Cadastre seu e-mail e receba nossas novidades

Icone IconeNotícias - Destaques

08/10/2019 às 13:48h

Cardeal Dom Serafim Fernandes de Araújo morre aos 95 anos em Belo Horizonte

Facebook

Morreu em Belo Horizonte, aos 95 anos, dom Serafim Fernandes Araújo, arcebispo emérito da Arquidiocese da capital mineira. A causa da morte ainda não foi divulgada. Segundo pessoas próximas ao religioso, ele passou o último fim de semana internado em estado grave.

Os ritos fúnebres começam às 19h desta terça (8), com um cortejo que partirá da Avenida Bernardo Monteiro, no Bairro Funcionários, Região Centro-Sul de Belo Horizonte. O velório terá início às 20h no Santuário Arquidiocesano de Adoração Perpétua Nossa Senhora da Boa Viagem, na Rua Sergipe.  A missa do sepultamento está marcada para quinta-feira (10), às 17h, no mesmo local. 

Dom Serafim foi arcebispo metropolitano de Belo Horizonte entre 1986 e 2004, quando foi sucedido por dom Walmor Oliveira de Azevedo. Conhecido pela expressão "Na palma da mão de Deus", foi precedido por João Resende Costa. "O arcebispo dom Walmor e os bispos auxiliares, em oração, estão unidos aos familiares, amigos e fiéis para se despedir", diz a nota de condolências publicada no site Arquidiocese na manhã desta terça-feira (8). 

Repercussão e homenagens

O atual arcebispo metropolitano de Belo Horizonte e presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Walmor Oliveira de Azevedo, ressaltou a atuação do cardeal no campo da educação, bem como sua dedicação à vida episcopal. “O cardeal dom Serafim Fernandes de Araújo é presença admirável no coração do amado povo de Deus. Ao longo de mais de cinquenta anos de dedicação à Arquidiocese de Belo Horizonte, o cardeal deixa um legado de especiais feitos. Sua caminhada missionária fez crescer no coração de cada pessoa, principalmente cristãos católicos de nossa amada Arquidiocese, o amor a Jesus Cristo e à Igreja. Por isso também, no coração de todos estará sempre a gratidão, a admiração e o respeito por dom Serafim”, diz a nota assinada por dom Walmor no site da CNBB.

O Governador de Minas Gerais, Romeu Zema, usou sua conta no Twitter para se despedir do cardeal. "Muito contribuiu para a promoção da dignidade humana em Minas", afirmou Zema.

Atleticano fervoroso e conselheiro benemérito do time mineiro, dom Serafim também foi homenageado pelo clube. "O Atlético manifesta sua solidariedade aos familiares e amigos do cardeal", diz postagem publicada nas redes sociais. 

As fundações Dom Cabral (FDC) e José Fernandes de Araújo (FJFA) também divulgaram nota lamentando a morte do religioso, um de seus fundadores. “Com uma vida dedicada extensivamente à educação, Dom Serafim foi, ao lado do Professor Emerson de Almeida, responsável pela criação da FDC em 1976”, diz a nota. “Durante mais de 40 anos, Dom Serafim foi presença fundamental em todos os momentos importantes da escola de negócios, orientando decisões e, à luz de sua sabedoria e generosidade, apontando caminhos a serem trilhados. A comunidade das duas instituições lamenta profundamente a perda do exemplo de integridade, dignidade e generosidade para todos os brasileiros”, diz o texto. 

Dom Serafim presidiu o Conselho Curador da Fundação Dom Cabral, órgão máximo da instituição, até 2015, quando passou a ser o Patrono da escola. Em 1980, ele criou a Fundação José Fernandes de Araújo para conceder bolsas de estudos a alunos de baixa renda de instituições de ensino superior. 

A Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas) decretou luto de três dias na instituição. Dom Serafim foi grão-chanceler e o segundo reitor da universidade, de 1960 a 1981. 

O senador e ex-governador de Minas Gerais, Antonio Anastasia, disse ter recebido com tristeza a morte do cardeal, disse que ele foi uma grande inspiração pessoal e destacou que dom Serafim também era engajado e atuante em temas sociais e de relevo em Minas. “Perde não apenas a igreja católica um de seus príncipes mais ilustres. Perdemos todos os mineiros e brasileiros uma pessoa de coração enorme, preocupado com o próximo, com um bom humor contagiante, guerreiro que foi na luta por uma sociedade mais inclusiva, mais justa e humana. Alguém preocupado com a educação, tão necessária, fundador que foi da Fundação Dom Cabral”, escreveu. 

Os deputados do bloco de governo na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) também se manifestaram. “Sua serenidade, devoção e seus mais de cinquenta anos ofertados à Arquidiocese de Belo Horizonte ficam para sempre entre nós e nos deixam enormes legados como o respeito, a dedicação e o amor ao próximo e aos mais humildes. Que Deus o receba 'na palma da mão' e que esta expressão tão bonita usada por Dom Serafim preencha nossos corações neste momento de partida”, diz a nota divulgada nesta manhã. 

Trajetória

Nascido em 13 de agosto de 1924, dom Serafim Fernandes Araújo é de Minas Novas, no Vale do Jequitinhonha. O mineiro passou a infância em Itamarandiba até que, aos 12 anos, mudou-se para Diamantina, para estudar no seminário da cidade, onde se formou em Humanidades (1942) e Filosofia (1944).

Após a conclusão do Ensino Superior, o clérigo foi convidado a estudar em Roma, onde fez mestrado em Teologia e Direito Canônico na Pontifícia Universidade Gregoniana. Ordenou-se padre em 12 de março de 1949, na Catedral de São João Latrão, situada na capital italiana. O retorno ao Brasil se deu em 1951, para assumir a paróquia de Gouveia, na Região Central de Minas, onde atuou por seis anos. No mesmo período, foi capelão a Companhia Industrial de São Roberto e do 3º Batalhão Militar da Polícia Militar de Minas Gerais. Exerceu também os cargos de diretor de Ensino Religioso da Arquidiocese de Diamantina e professor de Direito Canônico no Seminário Provincial.

Em 1959, aos 34 anos, foi sagrado bispo - o mais novo a assumir o posto no Brasil. A partir de então, transferiu-se para Belo Horizonte, para ser auxiliar de dom João Resende Costa. Paralelamente à função, assumiu o cargo de vigário geral, além de professor de Cultura Religiosa da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-Minas). Em 1960, tornou-se reitor da universidade. Entre 1978 e 1981, foi membro do Conselho Federal de Educação.

Arcebispo e cardeal

A trajetória de dom Serafim na Arquidiocese da capital mineira teve início em 31 de março de 1983, quando o clérigo tomou posse como arcebispo coadjuntor. Em 1986, tornou-se arcebispo metropolitano. Em 18 de janeiro de 1998, foi nomeado cardeal - alto cargo dentro da hierarquia da Igreja Católica, cujas atribuições incluem assistência ao papa em suas diversas decisões e competências.

Fonte: em.com.br

Galeria de fotos

Clique nas imagens para ampliar: