Capa da Página Frigorífico de Pará de Minas é habilitado para exportação para a Arábia Saudita - Destaques - JC Notícias Capa da Página

Icone previsão PARÁ DE MINAS - 19º MIN 28º MAX

Cadastre seu e-mail e receba nossas novidades

Icone IconeNotícias - Destaques

12/11/2019 às 16:59h

Frigorífico de Pará de Minas é habilitado para exportação para a Arábia Saudita

Facebook

O frigorifico Plena Alimentos, em Pará de Minas, está na lista de oito frigoríficos brasileiros que receberam a habilitação da Arábia Saudita para exportação de carne bovina. O anuncio foi feito pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) nesta segunda-feira (11).

O responsável pelo setor de exportação da empresa, Mohamad Sus, disse que a habilitação é mais um ganho para o frigorífico, principalmente, no segmento de exportação.

Conforme ainda Mohamad, em Pará de Minas funciona o abatedouro da empresa. A central de distribuição das carnes está concentrada em Contagem, Região Metropolitana de Belo Horizonte. De lá saem as carnes que são distribuídas, principalmente, em Minas Gerais.

De janeiro a outubro deste ano, as vendas externas do agronegócio brasileiro para a Arábia Saudita foram de US$ 1,462 bilhão, 1,6% a mais que no mesmo período no ano passado, de acordo com o Ministério da Agricultura. O país tem 1,8% de participação no total.

Habilitação para exportar
De acordo com o Ministério da Agricultura, foram habilitados: Frigorífico Fortefrigo (Paragominas, Pará), Frigorífico Better Beef (Rancharia, São Paulo), Rio Grande Comércio de Carnes Ltda (Imperatriz, Maranhão), Plena Alimentos (Pará de Minas, Minas Gerais), Indústria e Comércio de Alimentos Supremo (Ibirité, Minas Gerais), Frigol (São Félix do Xingu, Pará), Maxi Beef Alimentos do Brasil (Carlos Chagas, Minas Gerais) e Distriboi - Indústria, Comércio e Transporte de Carne Bovina (Ji-Paraná, Rondônia).

Ainda segundo a pasta, em 2018 as exportações de produtos agropecuários brasileiros para a Arábia Saudita renderam US$ 1,7 bilhão. Foram mais de 2,9 milhões de toneladas. A carne de frango representou 47,4% do valor vendido (US$ 804 milhões e 486 mil toneladas).

A ministra Tereza Cristina avalia que a decisão da Arábia Saudita é fruto da recente viagem brasileira ao país.

Fonte: G1

Galeria de fotos

Clique nas imagens para ampliar: