Capa da Página ‘Há três anos sinto vontade de matar’, disse estudante que esganou jovem durante programa - Destaques - JC Notícias Capa da Página

Icone previsão PARÁ DE MINAS - 16º MIN 24º MAX

Cadastre seu e-mail e receba nossas novidades

Icone IconeNotícias - Destaques

19/10/2019 às 09:03h

‘Há três anos sinto vontade de matar’, disse estudante que esganou jovem durante programa

Facebook

Frio e sem arrependimento. Assim a Polícia Civil definiu o universitário de 21 anos que confessou ter matado, por estrangulamento, uma jovem de 18 anos dentro de um flat no bairro Estoril, região Oeste de Belo Horizonte. Aos investigadores, o suspeito disse que “sentiu vontade de matar” enquanto os dois mantinham uma relação sexual. Por isso, ele enforcou a vítima. Depois, para garantir a morte, o rapaz ainda enforcou a jovem com um fio de telefone.

O crime aconteceu na noite de segunda-feira (14), enquanto os dois ainda estavam na cama. “Ele disse que, desde a morte do pai, há três anos, sentia vontade de matar alguém”, contou a delegada Michelle Campos, do Departamento Estadual de Investigação de Homicídios e Proteção à Pessoa. “Ele não conhecia a vítima, mas viu naquele momento a oportunidade de matar”, explicou.

Depois do assassinato, o estudante, que cursa Ciências Contábeis e mora no bairro Santo Antônio, região Centro-Sul de BH, fugiu de ônibus para Curitiba. Ele foi convencido por amigos a voltar e se apresentou à polícia, na noite de quinta-feira (17). “O rapaz não mostra nenhum arrependimento”, relatou a delegada.

O suspeito ficará preso preventivamente por pelo menos 30 dias. Nesta sexta-feira (18), ele está recluso no Centro de Remanejamento de Presos (Ceresp) Gameleira.

Confissão

De acordo com a Polícia Civil, o universitário declarou que agendou um programa sexual com a jovem por meio de um site. Ele disse que chegou ao flat, às 22h30, e se identificou na portaria. "O apartamento era usado para fazer programas e a jovem não morava lá", explicou Campos. Conforme relato do rapaz, às 22h40 ele entrou no quarto.

O homem disse que nunca tinha visto a jovem, mas que, enquanto os dois faziam o programa, ele "sentiu vontade de matar". "Ele diz que chegou a falar com a garota, mas ela não acreditou", detalhou a investigadora. O suspeito lembrou que esganou a jovem ainda na cama. Depois, pegou o cabo de um aparelho eletrônico e enrolou no pescoço da vítima. "Na sequência, ele levou o corpo até o banheiro e passou toalha úmida nela, para dificultar a identificação dele no crime", explicou a delegada.

Além disso, o rapaz pegou os documentos e o celular da mulher e jogou em uma lixeira, com a intenção de também dificultar que a jovem fosse reconhecida. No mesmo dia do crime, o suspeito pegou um ônibus e seguiu para Curitiba, onde ficou hospedado em um hotel próximo da rodoviária. Antes de fazer contato com os amigos, parentes do homem chegaram a registrar um boletim relatando o desaparecimento dele.

Psicopata

A delegada Michelle Campos disse que o rapaz não tinha passagem pela polícia e que não é possível dizer se ele é psicopata ou tem problemas mentais. Segundo ela, a investigação ainda está em andamento e algumas diligências têm que ser realizadas até a conclusão do inquérito.

Crime

O corpo foi encontrado na noite de terça-feira (15), em um flat da avenida Barão Homem de Melo. No entanto, de acordo com a perícia, a jovem já estava morta há várias horas, já que o corpo estava rígido. A vitima foi encontrada por uma amiga, que tinha a chave do flat e foi até o local.

Aos militares, a mulher contou que encontrou a porta aberta e que não havia sinais de arrombamento. Ela foi até o banheiro, onde encontrou a jovem morta. O síndico e o porteiro do prédio foram acionados e chamaram o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), que constatou o óbito.

Quando a PM chegou ao quarto, que fica no 5º andar do edifício, não encontrou marcas de sangue e todos os objetos estavam no lugar.

Fonte: Hoje em Dia

Galeria de fotos

Clique nas imagens para ampliar: