Capa da Página Interpol emite alerta vermelho contra ex-dirigentes da Fifa - Destaques - JC Notícias Capa da Página

Icone previsão PARÁ DE MINAS - 15º MIN 34º MAX

Cadastre seu e-mail e receba nossas novidades

Icone IconeNotícias - Destaques

03/06/2015

Interpol emite alerta vermelho contra ex-dirigentes da Fifa

Facebook

A Interpol emitiu nesta quarta-feira um alerta vermelho contra dois ex-dirigentes da Fifa e quatro executivos de empresa de marketing esportivo, investigados pelos Estados Unidos por um caso de corrupção dentro da Federação Internacional de Futebol. O alerta é um aviso de busca internacional ou um pedido de extradição. A medida afeta o trinitino Jack Warner, ex-vice presidente da Fifa, e o paraguaio Nicolás Leoz, ex-integrante do comitê executivo da entidade, assim como quatro executivos do setor empresarial, três argentinos e um brasileiro.

imagemA divulgação do alerta acontece um dia depois da renúncia de Joseph Blatter, presidente da Fifa. Desde a semana passada, a entidade que administra o futebol mundial está no centro de uma série de denúncias de corrupção de proporções inéditas, que vão desde o processo de escolha das sedes de Copas do Mundo até os contratos por direitos de transmissão de competições.

Warner, que foi presidente da Concacaf, foi detido durante 24 horas depois que se apresentou de maneira voluntária na semana passada à polícia de Trinidad e Tobago. O ex-dirigente da Fifa foi liberado depois de pagar fiança de 400.000 dólares.

O paraguaio Nicolás Leoz, que também foi presidente da Conmebol, está em prisão domiciliar desde segunda-feira em seu país. Quatro executivos de empresas de marketing esportivo também estão na lista, incluindo o brasileiro José Margulies, diretor da empresa Valente Corp. e Somerton Ltd.

Os outros são os argentinos Alejandro Burzaco, dirigente da empresa 'Torneos y Competencias', Hugo Jinkis e seu filho Mariano, donos da Full Play SA, empresa que tem os direitos para a TV das partidas das eliminatórias sul-americanas para a Copa do Mundo.

Os três são considerados foragidos e são procurados pela polícia da Argentina.

Fonte: O Tempo

Galeria de fotos

Clique nas imagens para ampliar: