Capa da Página Irã anuncia que deteve dois petroleiros no estreito de Ormuz - Destaques - JC Notícias Capa da Página

Icone previsão PARÁ DE MINAS - 20º MIN 28º MAX

Cadastre seu e-mail e receba nossas novidades

Icone IconeNotícias - Destaques

20/07/2019 às 09:00h

Irã anuncia que deteve dois petroleiros no estreito de Ormuz

Facebook

Dois petroleiros foram detidos pelo Irã nesta sexta-feira (19) no estreito de Ormuz. Um deles, porém, foi liberado após algumas horas.

A Guarda Revolucionária do Irã anunciou que capturou o navio sueco de bandeira britânica Stena Impero por violar a lei marítima internacional quando cruzava o estreito. Um pouco mais tarde, o ministro britânico de Relações Exteriores, Jeremy Hunt, confirmou a detenção da segunda embarcação, o MV Mesdar, de propriedade britânica e bandeira liberiana, que depois foi liberado.

Hunt chamou as ações de "inaceitáveis" e disse que não há cidadãos britânicos a bordo de nenhum dos navios. Ele informou ainda que o embaixador britânico em Teerã está em contato com o ministro iraniano de Relações Exteriores para resolver a questão. "É essencial que a liberdade de navegação seja mantida e que todos os navios possam se mover segura e livremente na região", acrescentou.

Segundo a BBC, a Stena Bulk, empresa dona do Stena Impero, diz que ele estava a caminho do porto de Al-Jubail, na Arábia Saudita, com 23 tripulantes a bordo, quando foi abordado por "pequenas embarcações não identificadas e um helicóptero".

"Estamos atualmente impossibilitados de entrar em contato com a embarcação, que agora está indo para o norte, em direção ao Irã. Não há relato de feridos e a segurança (dos tripulantes) é uma preocupação primordial para os proprietários e administradores", diz um comunicado distribuído pela empresa.

Já no caso do Mesdar, funcionários iranianos fizeram uma inspeção de regulações ambientais e liberaram o navio após algumas horas, de acordo com a CNN, que cita as agências de comunicação semi-oficiais iranianas Tasnim e Mehr. A embarcação já teria seguido em direção ocidental no Golfo, em vez de seguir para o norte, a caminho do Irã.

'Só dão problemas'

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse que a captura do petroleiro comprova que ele "tinha razão" em suas críticas aos iranianos, e confirmou que autorizou o senador republicano Rand Paul a fazer contatos para iniciar uma negociação entre Washington e Teerã.

"Tudo isso mostra o que estou dizendo sobre o Irã. Eles causam problemas, só dão problemas. Foi um acordo (nuclear) ridículo, isso mostra que eu tinha razão sobre o Irã", afirmou Trump em declarações aos jornalistas ao deixar a Casa Branca rumo a Bedminster (Nova Jersey), onde passará o fim de semana.

"Falaremos com o Reino Unido, trabalharemos com o Reino Unido", afirmou Trump.

"O Irã atualmente está com grandes problemas. Sua economia está ruindo. É muito fácil resolver, mas se eles não quiserem, será muito fácil para nós piorar ainda mais a situação", acrescentou o presidente americano.

Gibraltar

As detenções em Ormuz acontecem no mesmo dia em que A Suprema Corte de Gibraltar estendeu por mais 30 dias o período de retenção do petroleiro iraniano Grace 1, detido há duas semanas nesse território pelas suspeitas de que transportava petróleo à Síria, país em conflito armado há oito anos e sujeito a sanções da União Europeia.

A decisão foi tomada nesta sexta-feira durante reunião do Supremo local, que marcou uma nova audiência para o dia 15 de agosto, segundo informou o governo desta colônia britânica em comunicado.

Quatro membros da tripulação do petroleiro, entre eles o capitão, foram detidos, mas colocados em liberdade após pagar uma fiança na semana passada.

A detenção do Grace 1 gerou um conflito diplomático entre Irã e Reino Unido, e na semana passada uma fragata da Marinha britânica abortou uma tentativa de três navios ligeiros iranianos de interceptar um petroleiro britânico que navegava pelo Golfo Pérsico.

O líder supremo do Irã, Ali Khamenei, classificou na terça-feira passada a detenção do petroleiro iraniano como "ato de pirataria marítima" e advertiu que seu país responderá ao Reino Unido "no momento apropriado".

Na quarta-feira, a primeira-ministra britânica, Theresa May, e o ministro principal gibraltino, Fabián Picardo, analisaram a situação em reunião em Londres, na qual a chefe de governo do Reino Unido ressaltou a "importância de que se siga o processo legal independente em Gibraltar" e elogiou os esforços do território em "implementar as sanções da União Europeia sobre a Síria".

Paranaguá

Dois navios do Irã que trouxeram ureia ao Brasil e pretendiam retornar ao Irã carregando milho brasileiro estão parados ao largo do porto de Paranaguá (PR) desde o início de junho, com dificuldades de obter combustível para a viagem ao país asiático devido às sanções dos Estados Unidos à república islâmica.

Fonte: G1

Galeria de fotos

Clique nas imagens para ampliar: