Capa da Página MPMG abre inquérito para apurar racismo em fala de apresentador mineiro - Destaques - JC Notícias Capa da Página

Icone previsão PARÁ DE MINAS - 14º MIN 32º MAX

Cadastre seu e-mail e receba nossas novidades

Icone IconeNotícias - Destaques

12/07/2019 às 09:00h

MPMG abre inquérito para apurar racismo em fala de apresentador mineiro

Facebook

O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) anunciou nesta quinta-feira (11) que vai investigar se houve prática de racismo por parte do apresentador Stanley Gusman, que proferiu uma fala apontada como preconceituosa durante o programa Alterosa Alerta. Segundo o órgão, as investigações estão no início e a tipificação do suposto crime será definida no curso delas.

A reportagem tentou contato com o apresentador e Stanley ainda não se manifestou a respeito do inquérito. Já a TV Alterosa afirmou que não vai se pronunciar.

O caso aconteceu na última terça-feira (9), quando o apresentador, ao se referir ao presidente do Ibope, Carlos Montenegro, afirmou "eu sei muita coisa. Dentre elas, sei quem é o dono do Ibope. O nome do cara é Montenegro. Se ele fosse do bem, ele ia chamar 'Montebranco'". Na sequência, ainda entraram algumas vinhetas com sons humorísticos, como uma voz gritando "uepa!", além de um som de bateria, conhecido por ser tocado após uma piada ser contada. O repórter Rafael Martins, com quem Stanley conversava ao vivo, mostrou-se constrangido com a situação e disse apenas: "Nossa mãe".

Nas redes sociais, usuários protestaram e acusaram o apresentador de racismo. Com a repercussão, Gusman pediu desculpas ao vivo no programa dessa quarta-feira (10). Em sua retratação, o apresentador pediu desculpas "a quem possa ter ofendido". Nas palavras do apresentador, "Estou absolutamente constrangido por isso". Ele ainda se desculpou com o repórter Rafael Martins e com a TV Alterosa.

Em uma nota publicada nessa quarta, o repórter Rafael Martins, que também é deputado estadual pelo PSD, anunciou que pediu demissão do Alterosa Alerta. "Afirmações racistas, ainda que em tom jocoso, devem ser repudiadas com veemência por todos aqueles que defendem uma sociedade inclusiva, na qual os direitos alcancem indistintamente os cidadãos", declarou em uma postagem em sua página no Facebook, na qual ainda disse que nunca se sentiu tão constrangido.

Fonte: Hoje em Dia

Galeria de fotos

Clique nas imagens para ampliar: