Capa da Página Não posso simplesmente ficar dando dinheiro enquanto continuam desmatando, diz ministra alemã - Destaques - JC Notícias Capa da Página

Icone previsão PARÁ DE MINAS - 19º MIN 28º MAX

Cadastre seu e-mail e receba nossas novidades

Icone IconeNotícias - Destaques

13/08/2019 às 09:01h

'Não posso simplesmente ficar dando dinheiro enquanto continuam desmatando', diz ministra alemã

Facebook

A ministra alemã do Meio Ambiente, Svenja Schulze, defendeu nesta segunda-feira (12) que seu país continue apoiando a preservação da Amazônia, mas que não deve "ficar dando dinheiro" se os índices mostram um aumento no desmate. Ela também rebateu o presidente Jair Bolsonaro, que afirmou que o Brasil não precisa da verba repassada pela Alemanha.

"Apoiamos a região amazônica para que haja muito menos desmatamento. Se o presidente não quer isso no momento, então precisamos conversar", disse a ministra Svenja Schulze em entrevista à Deutsche Welle.

No sábado (10), diante do aumento do desmatamento no Brasil, a ministra disse que irá suspender o financiamento de R$ 150 milhões (35 milhões de euros) em projetos para a proteção da floresta e da biodiversidade no país. É um dinheiro extra, que não é destinado aos projetos do Fundo Amazônia, cuja continuidade também é incerta.

Bolsonaro reagiu à decisão anunciada no fim de semana. "Investir? Ela não vai comprar a Amazônia. Vai deixar de comprar a prestação a Amazônia. Pode fazer bom uso dessa grana. O Brasil não precisa disso", disse o presidente.

Nesta segunda (12), após a reação de Bolsonaro, a ministra disse que a declaração mostra que a Alemanha está "fazendo exatamente a coisa certa".

"Eu não posso simplesmente ficar dando dinheiro enquanto continuam desmatando", afirmou a ministra à DW. A titular da pasta disse que pretende manter aberto o diálogo com o governo brasileiro. "No momento, isso não está funcionando muito bem. Mas continuamos tentando, diplomaticamente."

Apoio a ações contra o desmatamento
Quando anunciou a suspensão do repasse dos R$ 150 milhões, a ministra do Meio Ambiente disse ao jornal "Tagesspiegel" que a política do governo brasileiro na região amazônica "deixa dúvidas se ainda se persegue uma redução consequente das taxas de desmatamento."

Em nota, a Embaixada da Alemanha ressaltou que a verba não tem relação com o Fundo. "Os 35 milhões de euros não eram do Fundo Amazônia, eram recursos para novos projetos da International Climate Initiative financiados pelo Ministério Alemão do Meio Ambiente. Vocês podem encontrar projetos atuais assim como os projetos terminados no site https://www.international-climate-initiative.com/en/projects/."

Para conter o desmatamento florestal, a Alemanha também apoia o Fundo Amazônia, onde o Ministério alemão da Cooperação Econômica já injetou até agora 55 milhões de euros (por volta de R$ 245 milhões). A suspensão de projetos atinge somente o financiamento do Ministério do Meio Ambiente em Berlim.

Criado em 2008 para financiar projetos de redução do desmatamento, o Fundo Amazônia está paralisado em 2019. Nenhum projeto foi aprovado para financiamento neste ano. No mesmo período do ano passado, quatro haviam sido aprovados. Ao todo, 11 propostas foram apoiadas em 2018, com investimento total de R$ 191,19 milhões.

O Fundo Amazônia, que já captou R$ 3 bilhões em doações, financia projetos de estados, municípios e da iniciativa privada para o desenvolvimento sustentável da Amazônia Legal. Noruega e Alemanha contribuem juntas para mais de 90% do total do fundo, que é administrado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Fonte: G1

Galeria de fotos

Clique nas imagens para ampliar: