Capa da Página Atlético empata com o Santos e desperdiça chance de chegar ao G-4 - Esporte - JC Notícias Capa da Página

Icone previsão PARÁ DE MINAS - 18º MIN 28º MAX

Cadastre seu e-mail e receba nossas novidades

Icone IconeNotícias - Esporte

11/06/2015

Atlético empata com o Santos e desperdiça chance de chegar ao G-4

Facebook

imagemOs pouco mais de 10 mil atleticanos que foram ao Independência viram, na noite desta quarta-feira (10), um roteiro que tem se tornado comum nos jogos do Galo no Horto: muita intensidade e exposição em excesso. O problema é que o Atlético tinha pela frente um Santos, que possui a mesma característica de jogar “no limite”. E com posturas equivalentes, o duelo entre alvinegros não poderia terminar com outro resultado que não fosse o empate.

Em um jogo muito dinâmico, os dois alvinegros saíram do Horto com um empate por 2 a 2. Os gols do Atlético foram anotados por Werley (contra) e Dátolo. O Santos, por sua vez, chegou à rede com Ricardo Oliveira e Gabriel.

Com o empate, o Galo perdeu a chance de chegar ao G-4 do Brasileirão. O Atlético soma 11 pontos e ocupa momentaneamente a quinta colocação. O Santos, por sua vez, obteve apenas sete pontos e está na 15ª colocação.

Os dois clubes terão dez dias de descanso, voltando aos gramados somente no próximo dia 20, um sábado, a partir das 16h30. Na data, o Atlético visitará o Flamengo, no Maracanã, enquanto o Santos receberá o Corinthians, na Vila Belmiro.

Intenso
Não importa a partida. Se há uma certeza quando o Atlético joga no Independência é a de que o clube alvinegro, no embalo de sua torcida, pressionará seu adversário em seu próprio campo desde o rolar inicial da bola. Quando atua no Horto, o Galo costuma imprimir um ritmo intenso, adiantando suas linhas, o que faz com que a maioria dos seus adversários fique acuado.

E nesta quarta-feira (6) a história não foi diferente. Atuando contra o Santos, uma equipe que “deixa o adversário jogar”, os comandados de Levir tentaram forçar o ritmo contra o alvinegro praiano desde o início, criando duas boas oportunidades de gol.

O problema dessa sobrecarga ofensiva é que o Atlético fica muito exposto, já que atua no limite. E só foi preciso o Peixe encaixar um contra-golpe para o feitiço virar contra o feiticeiro. Aos 18, Victor Ferraz interceptou um cruzamento rasteiro de Patric e lançou Ricardo Oliveira, que estava no grande círculo. Leonardo Silva tentou cortar a jogada, mas o experiente centroavante deu um drible de corpo e disparou livre rumo à meta defendida por Victor. Ao chegar na beirada da área, o camisa 9 chutou cruzado para abrir o marcador. 1 a 0.

No prejuízo, o Galo tentou forçar o jogo pelas laterais, onde o Peixe se mostrava mais frágil. E foi em uma dessas oportunidades que conseguiu o empate. Com a colaboração de um velho conhecido da massa alvinegra.

Aos 27, Pratto recebeu no miolo e viu Thiago Ribeiro avançando pela ponta. O rápido atacante recebeu a bola e tentou devolver para o companheiro, que tentava penetrar na área. Na tentativa de interceptar o lance, Werley, ex-zagueiro do Galo, mandou contra o patrimônio. 1 a 1.

O gol de empate deixou o jogo ainda mais corrido. Aos duas equipes ficaram jogando no limite. Foi aí que um contra-golpe fez a diferença a favor do Atlético. Aos 42, Rafael Carioca desarmou Geuvânio, ligando Thiago Ribeiro na sequência, aproveitando a falha na recomposição do rival. O rápido atacante abriu na direita para Patric que, ao chegar na linha de fundo, optou para cruzar para trás. Lá estava Dátolo, que dominou a pelota e teve frieza para concluir no momento certo. Um belo gol, que deu a vantagem momentânea ao Galo de 2 a 1.

Exposto
Na volta do intervalo, Levir sacou Carlos para a entrada de Maicosuel, com objetivo de tentar explorar a ala direita do Santos, que se mostrava extremamente vulnerável. O treinador, porém, não consertou sua marcação no setor, que deixava o time exposto contra um talentoso ataque santista. O Peixe agradeceu.

Aos oito minutos, Lucas Lima recebeu na ala direita e segurou a bola até Victor Ferraz passar livre nas costas de Patric, que comeu mosca. Ao chegar na linha de fundo, o lateral canhoto cruzou para trás, onde Gabriel chutou rasteiro para igualar a partida. 2 a 2.

Se até aquele momento as duas equipes se mostraram muito expostas, não seriam em pouco mais de 30 minutos, precisando correr atrás do gol da vitória, que a história seria diferente. E esse ritmo intenso marcou a sequência do jogo, com boas oportunidades dos dois lados, principalmente criadas pelo Atlético. Na melhor delas, aos 20 minutos, Dátolo cobrou falta com violência, exigindo grande defesa de Vladmir. No rebote, Pratto não mostrou o faro de gol de outrora e perdeu o tempo para concluir a gol.

Fonte: Hoje em Dia

Galeria de fotos

Clique nas imagens para ampliar: