Capa da Página Cruzeiro já tomou o dobro de gols que na primeira fase inteira do Mineiro de 2018: Tem que acabar, diz Mano - Esporte - JC Notícias Capa da Página

Icone previsão PARÁ DE MINAS - 20º MIN 31º MAX

Cadastre seu e-mail e receba nossas novidades

Icone IconeNotícias - Esporte

CRUZEIRO MG

Cruzeiro já tomou o dobro de gols que na primeira fase inteira do Mineiro de 2018: 'Tem que acabar', diz Mano

02/02/2019 às 08:00h

Facebook

Ponto forte dos times do técnico Mano Menezes, a defesa não tem sido tão sólida assim no Cruzeiro dos primeiros jogos de 2019. Em apenas quatro rodadas de Campeonato Mineiro, a equipe celeste já sofreu quatro gols - o dobro do número registrado em todas as 11 partidas da primeira fase do Estadual de 2018. E isso tem irritado bastante o comandante.

“Nossa equipe toma poucos gols e nesse início de campeonato jogou quatro partidas e só ficou um jogo sem sofrer gols. Esses ajustes temos que fazer nesse início de campeonato. Até um momento são toleráveis, mas agora está na hora de acabar”, avisou Mano após o empate por 2 a 2 com o Boa Esporte, em Varginha, na noite dessa quinta-feira, pela quarta rodada do Mineiro.

O Cruzeiro venceu Guarani (3 a 1) e Patrocinense (1 a 0) nas duas primeiras partidas de 2019. Em seguida, empatou com Atlético (1 a 1) e Boa (2 a 2). Na partida em Varginha, o time celeste esteve à frente no placar duas vezes, mas cedeu o empate que o colocou na vice-liderança, atrás apenas do América.

“O adversário jogou com velocidade nas costas dos laterais e você precisa fazer a leitura disso. Tomamos a jogada do segundo gol por falta de cuidado e de balanceamento defensivo”, completou Mano Menezes.

O próximo teste para a defesa do Cruzeiro será neste domingo, às 17h (de Brasília). O time visitará o lanterna Villa Nova, no estádio Castor Cifuentes, o Alçapão do Bonfim, pela quinta rodada da fase classificatória do Mineiro.

Números de 2018

Atual campeão mineiro, o Cruzeiro só levou gol em dois jogos na campanha invicta na primeira fase do Estadual em 2018. Em 27 de janeiro, venceu o Tombense por 2 a 1, em Tombos. Em 11 de março, empatou por 1 a 1 com o Patrocinense, em Patrocínio.

No mata-mata, voltou a ter a defesa vazada na volta da semifinal, quando venceu o Tupi por 2 a 1. Na grande decisão, perdeu por 3 a 1 para o Atlético na partida de ida. Na volta, conseguiu reverter a desvantagem e garantiu o título. Ou seja: foram sete gols sofridos em 16 partidas, média de 0,43 por jogo.

Fonte: Super Esportes

Galeria de fotos

Clique nas imagens para ampliar: