Capa da Página Dez motivos para o Galo acreditar na classificação - Esporte - JC Notícias Capa da Página

Icone previsão PARÁ DE MINAS - 17º MIN 26º MAX

Cadastre seu e-mail e receba nossas novidades

Icone IconeNotícias - Esporte

13/05/2015

Dez motivos para o Galo acreditar na classificação

Facebook

Acreditar até o fim não é novidade para o torcedor atleticano. Virou até mantra da torcida. E, mais uma vez, ele é evocado no Galo. Depois de empatar por 2 a 2 com o Internacional no Independência, o Atlético precisa vencer o Colorado em Porto Alegre ou empatar a partir de 3 a 3 para se classificar às quartas de final da Copa Libertadores.

Desde o histórico da equipe em mata-matas, passado por esperanças como Lucas Pratto e Guilherme, até chegar à estrela do técnico Levir Culpi, não faltam exemplos para o Galo acreditar mais uma vez.

“Nunca foi fácil e o impossível é o nosso sobrenome! Nós somos do Clube Atlético Mineiro! Eu sou Galo! Que Deus nos abençoe!”, escreveu nas redes sociais o lateral Marcos Rocha.

Diante de mais um cenário adverso, veja dez motivos para o torcedor atleticano acreditar na classificação do time às quartas de final da Copa Libertadores. Confira:

1 - Histórico do time: desde 2013, o Atlético tem se tornado especialista em superar momentos adversos. Foi assim na semifinal e final da Libertadores daquele ano. A história se repetiu na conquista da Copa do Brasil do ano passado. Viradas incríveis em cima de Corinthians e Flamengo

2 - Volta de Guilherme: recuperado de lesão muscular, Guilherme está relacionado pelo técnico Levir Culpi para encarar o Inter. O meia foi importante em momentos delicados do time na Libertadores de 2013 e na Copa do Brasil do ano passado. Este ano, Guilherme também teve atuações decisivas contra Colo Colo (Libertadores) e Cruzeiro (na semifinal do Mineiro).

3 - Faro de gol de Lucas Pratto: o argentino foi a principal contratação do clube. Rapidamente correspondeu ao investimento. São nove gols em 16 jogos, além de assistências. Fez gols decisivos contra o Santa Fe e Colo Colo (essenciais para a classificação do time no Grupo 1 da Libertadores) e Cruzeiro (que valeu a vaga na decisão do Campeonato Mineiro).

4 - Novas opções ofensivas: passada a fase de classificação da Libertadores, o técnico Levir Culpi ganhou alternativas para o ataque. Thiago Ribeiro foi inscrito pelo clube. O centroavante Jô, "esquecido" no grupo, foi recuperado na final do Mineiro e fez o gol do título. Já o armador Giovanni Augusto retirou a ação contra o Galo na Justiça, renovou o contrato e entrou nos planos de Levir.

5 - Quebra de tabus: desde 2013, o Atlético se tornou especialista em quebrar escritas. Na Libertadores de 2013, eliminou pela primeira vez uma equipe paulista ao vencer o São Paulo nas oitavas de final. Despachou na Copa do Brasil o Flamengo, um adversário historicamente carrasco para o time em mata-matas, e o Corinthians, desclassificado pela primeira vez em confrontos com o Galo.

6 - Levir eficiente em mata-matas: desde que voltou ao Atlético, em abril de 2014, o técnico só foi eliminado uma vez nesse modelo de disputa e, mesmo assim, comandando o time apenas no jogo de volta contra o Nacional de Medellín, que terminou empatado por 1 a 1, pela Libertadores passada. Depois disso, passou por Lanús (Recopa); Palmeiras, Corinthians, Flamengo e Cruzeiro (Copa do Brasil); Cruzeiro e Caldense (Campeonato Mineiro).

7 - Time completo: Levir Culpi não tem desfalques para o jogo decisivo contra o Internacional. Com exceção de Lucas Cândido, que passou por cirurgia recentemente, o técnico conta com todo o elenco para a partida. O comandante pode escalar a equipe e alterá-la durante a partida da forma que desejar em busca da classificação.

8 - Exemplo da semifinal de 1980: Atlético e Internacional já se enfrentaram em outros mata-matas. Em 1980, pela semifinal do Campeonato Brasileiro, o Galo também empatou o jogo de ida em casa, mas por 1 a 1. Em Porto Alegre, o Alvinegro, de Cerezo, Éder e Reinaldo, aplicou 3 a 0 no Colorado, que tinha Falcão, Mário Sérgio e Batista.

9 - Inter caiu em casa recentemente: na última vez que decidiu um mata-mata da Copa Libertadores em casa, o Colorado acabou eliminado. Na edição de 2011, a equipe gaúcha empatou com o Peñarol por 1 a 1 fora de casa e acabou derrotada por 2 a 1, de virada, no Beira-Rio. Já em 2012, o Internacional também foi eliminado nas oitavas de final.

10 - Cenário semelhante no Estadual: no Campeonato Mineiro, o Atlético também empatou em casa o jogo de ida da semifinal e da decisão, contra Cruzeiro e Caldense, respectivamente. A vaga na final e o título foram conquistados com vitórias como visitante.

Fonte: Superesportes

Galeria de fotos

Clique nas imagens para ampliar: