Capa da Página Réver contrapõe Levir, cobra mudança de postura do Atlético e relata dificuldade para dormir - Esporte - JC Notícias Capa da Página

Icone previsão PARÁ DE MINAS - 14º MIN 26º MAX

Cadastre seu e-mail e receba nossas novidades

Icone IconeNotícias - Esporte

ATLÉTICO MG

Réver contrapõe Levir, cobra mudança de postura do Atlético e relata dificuldade para dormir

15/03/2019 às 08:00h

Facebook

Os maus resultados no Grupo E da Copa Libertadores mudaram radicalmente o ambiente na Cidade do Galo. Após derrotas nas duas primeiras rodadas, o Atlético é o lanterna da chave e se vê em situação complicada na busca pelo mata-mata. E essa situação tem incomodado o zagueiro e capitão Réver.

“Tenho dormido bem pouco com essa situação, pensando em maneiras que eu tenha que melhorar para ajudar nossos companheiros para que nós possamos vencer na competição, que é de suma importância para nós”, relata o defensor de 34 anos.

Na estreia no Grupo E, o Atlético perdeu por 1 a 0 para o Cerro Porteño-PAR, em pleno Mineirão. Na partida seguinte, novo revés pelo placar mínimo, desta vez para o Nacional-URU, em Montevidéu. O time alvinegro está a seis pontos da zona de classificação para as oitavas de final, com quatro jogos a serem disputados. Para Réver, a equipe precisa mudar a postura urgentemente.

“Nossa mudança de postura é essencial nos quatro jogos. A gente sabe que precisa vencer, mas a gente não vai vencer os quatro jogos de uma só vez. A gente vai ter que pensar no próximo jogo e ir pensando jogo a jogo. A nossa situação realmente não está nada favorável. A gente sabe disso. Assumimos essa responsabilidade, até porque quem nos colocou nessa situação fomos nós mesmos. Então, nós mesmos vamos nos tirar dessa situação”, disse o capitão.

Para Réver, o Atlético claramente pode render mais em campo. O principal problema tem sido ofensivo. Afinal, a equipe não marca há três jogos na Libertadores. “A gente tem que iniciar o jogo de uma maneira agressiva e terminar o jogo dessa mesma maneira. Não adianta a gente escolher o jogo para ter certa agressividade ou para ter certa criação. A gente tem objetivos, nós sabemos da capacidade e do potencial de cada atleta. A gente precisa colocar isso para fora antes que seja tarde demais”, alertou.

Durante a avaliação do desempenho da equipe, Réver citou a derrota da última terça-feira para o Nacional. O capitão foi questionado sobre a avaliação do técnico Levir Culpi, que, em poucas palavras, admitiu que o time tem piorado nos segundos tempos das partidas. O defensor discorda.

“Para mim, nosso time jogou melhor no segundo tempo do que no primeiro. Acho que isso é muito pessoal, particular, na forma de avaliar em termos de queda de rendimento ou não. O Levir tem a sua maneira de pensar. Não discordo. Respeito a decisão dele, a maneira de dar a resposta. Mas eu não vi uma queda de rendimento da equipe no segundo tempo diante do Nacional, até porque, como eu disse anteriormente, foi um jogo muito truncado, literalmente feio”, analisou.

O técnico Levir Culpi tem sido questionado com frequência por torcedores e pela imprensa em função da mudança promovida na equipe. Nos últimos três jogos, o treinador optou por tirar o atacante Chará do time titular e promover a entrada de um volante. A alteração fez com que Elias fosse deslocado do meio para a ponta. Desde então, a equipe não fez gols, perdeu duas e empatou uma.

Réver comentou a mudança na formação. Sem citar nomes, o zagueiro falou que é preciso que os jogadores sejam francos uns com os outros para admitir eventuais dificuldades para cumprir certas funções. O único atleta fora da posição à qual está acostumado jogar é o meio-campista Elias.

“Entre nós jogadores, temos que ser francos uns com os outros e não esconder, de repente, uma certa dificuldade, talvez, na maneira que o treinador vai utilizar (um jogador) dentro da equipe. Isso é maturidade e profissionalismo, até porque acredito que, a partir do momento em que vai colocar o jogador numa posição que talvez não seja a dele, deve ter sido conversado antes. Essa franqueza e essa liberdade tem que existir num grupo, principalmente num grupo que busca vencer sempre. Então, acredito que o ponto crucial é este: ter essa clareza numa conversa franca que a gente tem aqui, para que a gente possa elevar o nosso nível de produção e reencontrar o caminho das vitórias”, disse.

Ainda não se sabe se Levir Culpi manterá o sistema para o próximo compromisso da equipe. Como o jogo seguinte pela Copa Libertadores é só em 3 de abril (contra o Zamora-VEN), a equipe agora se concentra no Campeonato Mineiro. O Atlético enfrentará o América neste domingo, a partir das 16h, no Mineirão, pela 10ª rodada do torneio.

Fonte: Super Esportes

Galeria de fotos

Clique nas imagens para ampliar: