Capa da Página - Moradores do Santos Dumont recebem comunicado sobre o fechamento do 2º ano da Escola Lenir Medina em 2020 - Notícias - JC Notícias Capa da Página

Icone previsão PARÁ DE MINAS - 18º MIN 30º MAX

Cadastre seu e-mail e receba nossas novidades

Icone IconeNotícias

07/11/2019 às 09:39h

Moradores do Santos Dumont recebem comunicado sobre o fechamento do 2º ano da Escola Lenir Medina em 2020

Facebook

O Governo de Minas, através da Secretaria de Estado de Educação determinou que o 2° ano do Ensino Fundamental na Escola Estadual Lenir Medina, no alto do bairro Santos Dumont, em Pará de Minas, fosse desativado em 2020. A determinação novamente frustrou pais de alunos da comunidade, uma vez que o 1º ano já havia sido fechado.

A Escola Lenir Medina, fica na Rua Waldemar de Oliveira, na parte alta do Santos Dumont. De acordo com eles, a medida vai gerar transtornos, pois as crianças vão ter que andar no mínimo dois quilômetros a pé para a outra unidade na parte baixa do bairro, que será na Escola Estadual Ademar de Melo.

Em entrevista ao JC Notícias, Edegilson da Cruz, presidente da FECOL – Frente Comunitária do bairro Santos Dumont – explica que os moradores da comunidade receberam a informação que a Escola Lenir Medina não seria totalmente fechada em 2020, porém as turmas do 2º ano serão desativadas:

Clique e ouça Edegílson da Cruz

O Governo de Minas informa que o fechamento das turmas se deve à falta de alunos, porém o líder comunitário rebate, dizendo que os pais desistem de matricular seus filhos na escola, pois ela não recebe infraestrutura de qualidade:

Clique e ouça Edegílson da Cruz

A retirada do 2º ano também significa menos vagas de emprego que a escola deixa de ofertar. De acordo com a Secretaria de Educação, são necessários, pelo menos, 25 alunos para formação de uma sala de aula.

De acordo com a superintendente Regional de Ensino, Tânia Morato, ainda não há uma definição concreta para que a Escola Lenir Medina seja fechada. No entanto, existe essa possibilidade, uma vez que o Estado não tem recursos financeiros e precisa enxugar a máquina pública.

Tânia destaca que a decisão de fechar a escola não cabe à Superintendência Regional de Ensino, mas sim à Secretaria de Estado de Educação. Além disso, ela ressalta que nenhum aluno ficará sem estudar.

Por Sérgio Viana


Galeria de fotos

Clique nas imagens para ampliar: