Capa da Página Prefeito garante que possível devolução da concessão da BR 262 não afetaria obras do novo trevo de Pará de Minas - Notícias - JC Notícias Capa da Página

Icone previsão PARÁ DE MINAS - 10º MIN 28º MAX

Cadastre seu e-mail e receba nossas novidades

Icone IconeNotícias

16/04/2018 às 08:41h

Prefeito garante que possível devolução da concessão da BR 262 não afetaria obras do novo trevo de Pará de Minas

Facebook

Como o JC Notícias anunciou em primeira mão na semana passada, a empresa Triunfo Concebra, responsável pela rodovia BR-262, entre a cidade de Betim e o Triângulo Mineiro, avalia a possibilidade de devolver a concessão do trecho ao governo federal após a medida provisória MP 800/2017, ter perdido a validade no mês de fevereiro.

Em entrevista ao JC Notícias, o diretor-presidente da Triunfo Concebra, Odenir Sanches afirmou que com a perda da validade da MP, ficou mais difícil de viabilizar o financiamento das obras, restando a alternativa de devolver a concessão de acordo com a lei 13.448/2017.

Após a veiculação da reportagem, muitas pessoas na cidade passaram a especular que uma possível devolução da concessão da BR-262 afetaria futuras obras do novo trevo de Pará de Minas, anunciado pelo prefeito Elias Diniz (PSD) durante audiência pública sobre o PPA – Plano Plurianual e a LDO – Lei de Diretrizes Orçamentárias – de 2019.

Em entrevista ao JC Notícias, o prefeito, que já está a par da situação da Triunfo Concebra, deixa claro que a devolução da concessão não afetará uma possível obra no trevo, já que o município está autorizado a fazer o serviço com recursos do Ministério das Cidades:

Clique e ouça Elias Diniz

O presidente da Câmara Municipal de Pará de Minas, Marcus Vinícius Rios de Faria (MDB) espera que a promessa de um novo trevo da cidade saia do papel para beneficiar os motoristas que passam pelo local com frequência:

Clique e ouça Marcão

Em 2016, durante a gestão do ex-prefeito Antônio Júlio de Faria (MDB), um outro projeto de revitalização do trevo de Pará de Minas foi entregue a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), que ficou de analisar a proposta, mas até o momento não deu respostas sobre a liberação da obra.

Por Sérgio Viana


Galeria de fotos

Clique nas imagens para ampliar: