Capa da Página Smartphones fazem 6 a cada 10 conexões móveis à internet na América Latina - Tecnologia - JC Notícias Capa da Página

Icone previsão PARÁ DE MINAS - 18º MIN 28º MAX

Cadastre seu e-mail e receba nossas novidades

Icone IconeNotícias - Tecnologia

13/09/2017 às 08:13h

Smartphones fazem 6 a cada 10 conexões móveis à internet na América Latina

Facebook

Os smartphones passaram a fazer 60% de todas as conexões móveis à internet na América Latina, aponta um relatório da GSMA divulgado nesta terça-feira (12) durante o Mobile World Congress Americas, realizado em San Francisco, nos Estados Unidos.

A pesquisa também mostra que o 4G já é a rede de 25% de todos os acessos móveis. O Brasil lidera a expansão em quantidade de conexões e a representação tanto de smartphones quanto do 4G.

Crescimento veloz

A escala do aparelho rumo ao posto de maior ponte entre as pessoas e a internet móvel foi rápida.

Esses números incluem apenas acessos feitos por alguma rede móvel, como 3G ou 4G. Excluem todas as tecnologias de banda fixa, como fibra ótica e satélite. Para poder equiparar todos os países, também desconsidera as conexões máquina-a-máquina, que utilizam redes móveis para que máquinas se comuniquem com outras máquinas pela internet.

Segundo a GSMA, organização que gerencia alguns sistemas de tecnologias móveis, a migração de consumidores para smartphones, com mais recursos que os antigos celulares, fez com que eles buscassem redes potentes, capazes de fornecer rapidamente conteúdos pesados. É aí que entra o 4G.

Conexão tem que ser rápida

No Brasil, das 234,6 milhões de conexões móveis, 73% são feitas por smartphones e 35% já usam o 4G. No México, segundo maior mercado latino, são 108,6 milhões de acessos, dos quais 63% feitos por celulares inteligentes e 25% por meio da banda larga móvel de quarta geração.

Na outra ponta da tabela aparece Cuba, com 4,6 milhões de conexões. Na ilha, a cada dez, quatro são feitas por smartphones. Lá, no entanto, não há 4G, mesma situação do Haiti.

Para Sebastian Cabello, diretor-geral da GSMA, a disseminação dos smartphones foi provocada pela queda nos preços, puxados para baixo pela grande quantidade de subsídios dados à sua fabricação na região. No Brasil, alguns desses incentivos à indústrias foram condenados na Organização Mundial do Comércio.Para a OMC, uma combinação entre smartphones e 4G fez com que as operadoras conseguissem respirar, já que, durante anos, viram a receita vinda de cada usuário cair. Neste trimestre, a expectativa da GSMA é que o faturamento cresça 4% em relação ao mesmo período de 2016.

Fonte: G1

Galeria de fotos

Clique nas imagens para ampliar: