Capa da Página Olimpíada: Rebeca Andrade fica em 5º lugar no solo e encerra participação histórica - Esporte - JC Notícias Capa da Página

Icone previsão PARÁ DE MINAS - 17º MIN 32º MAX

Cadastre seu e-mail e receba nossas novidades

Icone IconeNotícias - Esporte

SELEÇÃO BRASILEIRA

Olimpíada: Rebeca Andrade fica em 5º lugar no solo e encerra participação histórica

02/08/2021 às 11:27h

Facebook

A ginasta Rebeca Andrade encerrou a participação histórica na Olimpíada de Tóquio com duas medalhas olímpicas inéditas na história para o Brasil na ginástica artística feminina. Na manhã desta segunda-feira (horário de Brasília), ela fez a última apresentação, no solo, e ficou na quinta colocação — anteriormente foi ouro no salto e prata no individual geral.

Ao som de 'Baile de Favela' a brasileira fez atuação recheada de talento, com o carisma que a consagrou entre as melhores atletas do mundo. Porém, na primeira acrobacia, aterrissou com um pé fora do tablado, o que acabou lhe um desconto em sua nota. 

Depois, ela executou os movimentos de maneira sólida e segura e cravou o restante da série. Mas, em uma prova em que as adversárias beiraram à perfeição, qualquer vacilo poderia ser fatal. Assim, Rebeca ficou com a nota 14,033.

"Estou muito feliz com todas as apresentações que eu fiz desde o primeiro dia. Eu amo me apresentar no solo e ganhei duas medalhas inéditas aqui, conquistadas com muito esforço, muito suor. Não tem como não estar feliz", disse a sorridente Rebeca, contente com o desempenho em Tóquio.

A norte-americana Jade Carey ficou com o ouro, com 14,366.

Mesmo com a ausência da estrela Simone Biles, que tem optado por ficar de fora de algumas finais em Tóquio para cuidar da sua saúde mental, o nível da final do solo nesta segunda-feira foi muito elevado. 

A prata ficou com a italiana Vanessa Ferrari, que, após o seu solo maravilhoso, recebeu nota 14,200. Já o bronze foi dividido entre a japonesa Mai Murakami e Angelina Melnikova, do Comitê Olímpico Russo, ambas com 14.166.

Rebeca encerra a sua participação nos Jogos de Tóquio como a maior ginasta do Brasil na atualidade. Também deixa como marca o poder de superação em uma carreira curta ainda, mas prejudicada por lesões. Ela já foi submetida a três cirurgias no ligamento cruzado anterior no joelho direito. 

"Sou muito grata por essa oportunidade. Aproveitei ao máxima essa competição. Estou muito grata e feliz", comemorou a ginasta

Fonte: Itatiaia

Galeria de fotos

Clique nas imagens para ampliar: