Capa da Página Eu sabia que ele frequentava [o imóvel]. Eu não sabia que ele estava lá no dia da prisão, diz Wassef - Política - JC Notícias Capa da Página

Icone previsão PARÁ DE MINAS - 14º MIN 34º MAX

Cadastre seu e-mail e receba nossas novidades

Icone IconeNotícias - Política

22/06/2020 às 10:30h

"Eu sabia que ele frequentava [o imóvel]. Eu não sabia que ele estava lá no dia da prisão", diz Wassef

Facebook

O advogado Frederick Wassef admitiu saber que Fabrício Queiroz havia estado em sua casa em Atibaia, local onde o ex-assessor de Flávio Bolsonaro foi preso nessa semana. Wassef, no entanto, afirmou que não tinha conhecimento que Queiroz estivesse no imóvel no dia da prisão e que nunca comentou sobre a presença do ex-assessor parlamentar ao senador e ao presidente Jair Bolsonaro.

Wassef disse que Queiroz ficou em sua casa em Atibaia quando passou por cirurgias em Bragança Paulista. "Eu sabia que ele frequentava (o imóvel). Eu não sabia que ele estava lá no dia da prisão", alegou, em entrevista à CNN Brasil.

O ex-assessor parlamentar de Flávio Bolsonaro é apontado como operador financeiro de um esquema de ‘rachadinha’ na Assembleia Legislativa do Rio entre abril de 2007 e 17 de dezembro de 2018 - data inclusive posterior a sua exoneração, que foi em outubro daquele ano. Segundo investigação, pelo menos 11 dos ex-assessores do gabinete tinham relações de parentesco, vizinhança ou amizade com Queiroz.

O advogado disse ainda que acreditava que Fabrício Queiroz estava no Rio de Janeiro no dia da prisão e negou que estava escondendo o ex-assessor de seu cliente. Wassef também garantiu que nunca contou esses fatos a Flávio e a Jair Bolsonaro.

"Nunca jamais o presidente Jair Bolsonaro e soube ou teve conhecimento desses atos, desses fatos. Essa é minha inteira responsabilidade. Eu omiti essas informações do presidente da República e do senador Flávio Bolsonaro", apontou.

No entanto, Frederick Wassef não quis dizer como Queiroz chegou a sua casa em Atibaia. Segundo ele, a informação poderia prejudicar uma estratégia jurídica no caso. Ainda assim, o advogado revelou também que não fará mais a defesa do senador Flávio Bolsonaro na Justiça.

“Hoje, temporariamente, por uma questão de sigilo profissional, ética profissional, eu não posso, porque para eu dar essas informações, eu vou ter que explicar a íntegra do A ao Z e se eu fizer isso eu estarei ferindo o sigilo profissional, a ética profissional e estaria prejudicando todo o processo, inclusive ao meu cliente”, disse.

O advogado assegurou que não teve contato com Fabrício Queiroz e garantiu que isso será comprovado pela polícia a partir da quebra do sigilo telefônico de Queiroz. “No momento que eu puder falar, vou contar tudo o que sei. Eu não tenho telefone do Queiroz, nunca telefonei para ele, não troquei mensagem, nunca tive contato direto com o Queiroz. Estou tranquilo”, alegou, reafirmando que não poderia explicar agora porque Queiroz estava em sua casa.

Fonte: em.com.br

Foto:  Divulgação/CNN Brasil

Galeria de fotos

Clique nas imagens para ampliar: