Capa da Página Cruzeiro perde em Buenos Aires - Esporte - JC Notícias Capa da Página

Icone previsão PARÁ DE MINAS - 16º MIN 30º MAX

Cadastre seu e-mail e receba nossas novidades

Icone IconeNotícias - Esporte

15/04/2015

Cruzeiro perde em Buenos Aires

Facebook

Uma noite para a torcida cruzeirense esquecer. O Cruzeiro não conseguiu jogar na Argentina e foi facilmente envolvido pelo Huracán, nesta terça-feira. O placar de 3 a 1 para o time da casa refletiu bem o que foi a partida: um Cruzeiro totalmente sem criatividade. Tanto que o gol de honra celeste só foi marcado de pênalti, por Leandro Damião.

Com a derrota, o time de Marcelo Oliveira perdeu a liderança do grupo 3 para o Universitario, que bateu o Mineros por 2 a 0, em Sucre. Pior do que isso, a vaga nas oitavas de final ficou ameaçada.

Se quiser se classificar sem depender de nenhum outro resultado, o Cruzeiro precisará vencer o Universitario na terça-feira da semana que vem. Se empatar ou perder, a Raposa precisará torcer para o Huracán não vencer o já eliminado Mineros.

Antes disso, o clube celeste terá outra decisão, no domingo, às 16h, contra o Atlético, pela semifinal do Campeonato Mineiro. Como fez melhor campanha, o Cruzeiro precisa de um empate contra o Galo para avançar à grande decisão.

O jogo

Sem Alisson, vetado, o técnico Marcelo Oliveira optou por escalar um time com três volantes. Willian Farias, Willians e Henrique compuseram o meio de marcação. Não funcionou. O Cruzeiro entrou em campo perdido e sem criatividade.

Não demorou muito para ser surpreendido pelo Huracán. Aos 14 minutos, Lucas Villarruel ganhou de Damião com falta não marcada pelo árbitro e lançou Ramón Ábila. O centroavante, em posição de impedimento, abriu o placar: 1 a 0.

O gol irregular validado pelo árbitro não serviu de desculpa para a derrota do Cruzeiro no primeiro tempo. O clube celeste se mostrou pouco eficiente na criação para reagir. Embora tivesse posse de bola, não conseguia se desvencilhar da marcação e pouco chegava ao gol argentino.

O primeiro lance de relativo perigo do Cruzeiro só veio aos 16 minutos, mas em um chute de fora da área de Willian. No rebote, De Arrascaeta tocou fraco e perdeu a chance de marcar.

O castigo veio aos 25. Puch passou fácil pela marcação de Paulo André e tocou no meio da área para Ábila marcar seu segundo gol na partida: 2 a 0. Depois do golpe, o Cruzeiro procurou mais o jogo, mas seguiu esbarrando na falta de criatividade. O lance de mais perigo da Raposa ocorreu aos 35 minutos. Leandro Damião desviou cruzamento de cabeça, o goleiro deu rebote, mas Mena arrematou para fora.

O Cruzeiro voltou para o segundo tempo com Gabriel Xavier no lugar de Willians. A intenção de Marcelo Oliveira foi boa, mas já era tarde para o jovem armador “salvar” o clube celeste. Isso porque o Huracán já marcava intensamente e dificultava a vida dos cruzeirenses.

A chance celeste veio aos 14 minutos. Leandro Damião sofreu pênalti e cobrou no meio do gol para diminuir a desvantagem: 2 a 1. Esperançosa no empate, a torcida do Cruzeiro sofreu um balde de água fria três minutos depois. Em cobrança de falta, a zaga estrelada viu Mancinelli entrar sozinho na entrada da pequena área para marcar o terceiro e dar números finais ao jogo: 3 a 1.

Fonte: Superesportes

Galeria de fotos

Clique nas imagens para ampliar: