Capa da Página Centro Literário Pedro Nestor - Cultura - JC Notícias Capa da Página

Icone previsão PARÁ DE MINAS - 17º MIN 32º MAX

Cadastre seu e-mail e receba nossas novidades

Icone IconeNotícias - Cultura

29/06/2021 às 20:45h

Centro Literário Pedro Nestor

Facebook


Angela Leite Xavier

O Centro Literário fez parte de minha juventude. Era o local das horas dançantes nos finais de semana. E eram maravilhosas! Dançávamos ao som dos sucessos do momento: músicas italianas bem românticas de Adamo, Nico Fidenco, Rita Pavone; ou espanholas como La barca, La malaguenha, Reloj, Besame mucho e tantas outras. Ali dançávamos de rosto colado e namorávamos.

Naquele salão, quantas vezes dançamos cha cha cha, hully-gully e twist. E tinha um detalhe: os rapazes só podiam entrar se fosse de terno. Muitas vezes emprestamos paletó de meu pai para um amigo vindo de fora poder entrar. Eu não entendia o porquê deste nome - Centro Literário - se ali era um local de festas. Só mais tarde, conversando com meu pai, soube da sua origem.

No início dos anos 80 fui morar em Pará de Minas com meu marido e filhos. O Centro Literário já não oferecia eventos. Estava fechado e me dava pena passar por ele e vê-lo ali abandonado, prestes a desabar.

Meu pai, Zezinho Xavier, era vereador e sabia do que se passava. Um dia chegou em nossa casa dizendo que a prefeitura estava encaixotando todos os livros que ainda existiam no segundo andar do Centro Literário. Iam doar ou simplesmente jogar fora. Como ele sabia que eu e meu marido gostávamos de ler, nos deu a possibilidade de ver este tesouro.

Havia muitos livros de literatura, alguns de arte, de história e de autores paraminenses. E estavam em bom estado. Escolhemos algumas preciosidades e, com pena, deixamos a maioria deles para trás por não ter onde guardar.

Meu pai contou que frequentava muito o Centro Literário em sua juventude mas, não era para dançar. No segundo andar havia uma grande biblioteca e era onde costumavam reunir-se os jovens para trocar ideias literárias, para organizar peças de teatro, coisa muito comum no seu tempo de juventude. Ali aconteciam saraus com leituras, declamações, apresentações musicais. As peças teatrais eram encenadas no Ideal Cinema, do Juca Ferreira, com música ao vivo. Naquele segundo andar do Centro Literário havia uma iniciação à literatura para os jovens e deu frutos pois, meu pai gostava muito de ler e nos presenteava com livros, coleções de literatura juvenil.

Quando escreveu seu livro, MEMÓRIAS E IMPRESSÕES, ele fez questão de fazer o lançamento no salão do Centro Literário, ocasião em que relatei causos narrados por ele no livro, com a presença de amigos e parentes.

Toda a geração de meus avós e pais tiveram uma iniciação literária vinda especificamente do Centro Literário Pedro Nestor. Por que não voltarmos nossos olhos ao belo legado dos antepassados e transformar novamente aquele espaço num centro de irradiação literária?

Pois recentemente tive a feliz notícia de que no andar de cima deste prédio será instalada a sede da Academia de Letras de Pará de Minas, da qual faço parte com muito orgulho.

Quero voltar a pisar naquele espaço com os mesmos propósitos dos jovens dos anos 20 e que seja uma luz literária para os paraminenses de hoje, como foi no passado.


Galeria de fotos

Clique nas imagens para ampliar: