Capa da Página Chuva causa deslizamento e deixa mortos em Ibirité, na Grande BH - Destaques - JC Notícias Capa da Página

Icone previsão PARÁ DE MINAS - 16º MIN 32º MAX

Cadastre seu e-mail e receba nossas novidades

Icone IconeNotícias - Destaques

25/01/2020 às 09:02h

Chuva causa deslizamento e deixa mortos em Ibirité, na Grande BH

Facebook

Três pessoas morreram e uma está desaparecida em Ibirité, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, após um deslizamento provocado pela forte chuva que atinge a região nesta sexta-feira (24). De acordo com o Corpo de Bombeiros, os corpos identificados na Vila Ideal são de um bebê de seis meses de idade, de uma criança de seis anos e da mãe deles.

"Eu estava na casa da minha avó, ia buscar eles e depois não consegui falar mais. Aí meu telefone tocou dizendo que tinha desabado", disse o pai das crianças, Samuel Ferreira.

As buscas pela quarta vítima, uma mulher, continuavam no local. Todas as pessoas estavam na mesma casa. Elas foram suspensas às 21h e serão retomadas pela manhã.

A Polícia Civil chegou a dizer que uma outra casa havia sido atingida, totalizando cinco desaparecidos no bairro. Porém, a Defesa Civil Estadual disse em entrevista coletiva no fim da tarde desta sexta-feira (24) que apenas uma pessoa estava sendo procurada.


A previsão de um grande volume de chuva entre esta quinta-feira (24) e sexta em Belo Horizonte e cidades do entorno se confirmou, e o dia amanheceu com alagamentos de vias e deslizamentos de barrancos.

Ibirité foi um dos municípios mais castigados pela chuva. Já em Raposos, o Rio das Velhas aumentou significativamente e alagou vias e casas da cidade, inclusive a do prefeito Serginho da Bota (PSB). A ponte sobre o rio foi fechada. Até a última atualização desta reportagem, não havia registro de vítimas na cidade.

Já na capital mineira, os maiores transtornos foram provocados por alagamentos de vias e alguns deslizamentos. Pela manhã, as Avenidas Cristiano Machado, na Região Norte, e Otacílio Negrão de Lima, na Pampulha, estavam cobertas pela água e com o trânsito fechado. Ao longo do dia, as vias foram liberadas.

Outra avenida que chegou a ser interditada foi a Tereza Cristina, na Região Oeste de Belo Horizonte. Havia risco de transbordamento do Rio Arrudas, o que não se confirmou e, com isso, a via foi liberada. Não há registro de vítimas na capital.Conforme a Prefeitura, 17 pessoas foram levadas para abrigos na capital. O município reservou 500 alojamentos caso haja necessidade de pessoas saírem de casas em áreas de risco.

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) afirmou que Belo Horizonte teve o dia mais chuvoso da história da cidade, desde o início da medição climatológica há 110 anos. A capital mineira completou 121 anos em dezembro de 2019. Em 24 horas, o acumulado de chuva chegou a 171,8 milímetros em Belo Horizonte. O Inmet considera a medida entre as 9h desta quinta-feira (23) e as 9h desta sexta-feira (24).

O Corpo de Bombeiros no início da tarde afirmou que atendia cerca de 30 ocorrências de deslizamentos e desabamentos relacionados a chuva em BH e Região.

Em Contagem moradores do Morro dos Cabritos precisaram ser retirados de casa e levados para abrigos. Segundo a Defesa Civil da cidade, cerca de 500 moradores foram retirados da região. Eles devem receber aluguel social.

Outras cidades afetadas com enchentes, desabamentos e deslizamentos na Região Metropolitana são Betim, Sabará, Santa Luzia. Às 15h, não havia registro de vítimas nestes municípios.

Fonte: G1

Galeria de fotos

Clique nas imagens para ampliar: