Capa da Página Aquisição de cestas básicas no lugar de vacinas contra a Covid-19 gera questionamentos em Pará de Minas - Notícias - JC Notícias Capa da Página

Icone previsão PARÁ DE MINAS - 14º MIN 32º MAX

Cadastre seu e-mail e receba nossas novidades

Icone IconeNotícias

08/04/2021 às 08:00h

Aquisição de cestas básicas no lugar de vacinas contra a Covid-19 gera questionamentos em Pará de Minas

Facebook

Na última semana, o prefeito de Pará de Minas, Elias Diniz (PSD) anunciou a criação de um novo programa para contemplar as pessoas que estão passando por dificuldades financeiras. O “Vida no Prato”, como foi denominada a ação, visa distribuir cestas básicas as pessoas que estão em vulnerabilidade social devido a pandemia de Covid-19.

Na ocasião, Elias Diniz informou que entre os recursos para aquisição das cestas básicas, estaria a verba de R$ 1,2 milhão, aprovada pela Câmara Municipal, que seria destinada a compra de vacinas contra a Covid-19.

O prefeito também explicou na ocasião que o Ministério da Saúde teria informado a possibilidade de confiscar as vacinas adquiridas por estados e municípios e, diante da situação, ele decidiu usar a verba para compras de cestas básicas para famílias carentes de Pará de Minas.

Porém o JC Notícias recebeu informações de que a Prefeitura poderia utilizar a verba de R$ 1,2 milhão de outras formas, já que localidades em situação de emergência ou estado de calamidade pública reconhecidos pelo Governo Federal, devido a pandemia de Covid-19, poderão receber, via Ministério da Cidadania, cestas de alimentos destinadas a famílias em situação de insegurança alimentar e nutricional. A portaria ministerial que prevê essa possibilidade foi publicada no Diário Oficial da União do dia 24 de março.

Durante a reunião ordinária virtual da Câmara Municipal de Pará de Minas, na última segunda-feira (5), o vereador Juninho JR (PSL) também questionou a situação e apresentou Requerimento, solicitando a Elias Diniz, prestar informações e esclarecimentos sobre a motivação da desistência referente a aquisição das vacinas contra o coronavírus:

Clique e ouça Juninho JR

O vereador acredita que o recurso aprovado pelos vereadores de R$ 1,2 milhão não poderia ser destinado para outras aquisições, ainda mais, sabendo que existe a portaria do Ministério da Cidadania que prevê a doação de cestas básicas aos municípios:

Clique e ouça Juninho JR

Nesta quarta-feira (7), o secretário municipal de Assistência e Desenvolvimento Social, Flávio Medina, respondeu os questionamentos da população e do vereador Juninho JR. Ele confirma que a ideia do prefeito de comprar a cestas ocorreu a partir do momento que o Município temia que as vacinas pudessem ser confiscadas pelo Governo Federal e que a Prefeitura decidiu fazer as doações de alimentos após um levantamento feito da situação financeira de parte dos pará-minenses:

Clique e ouça Flávio Medina

Com relação ao questionamento de que a Prefeitura poderia utilizar a verba de R$ 1,2 milhão de outras formas, já que localidades em situação de emergência ou estado de calamidade pública reconhecidos pelo Governo Federal, devido a pandemia de Covid-19, poderão receber, via Ministério da Cidadania, cestas destinadas a famílias carentes, Flávio explica que o Município teme pela lentidão na liberação dos alimentos e que não seja o suficiente para atender todos os necessitados:

Clique e ouça Flávio Medina

De acordo com o secretário, as famílias pará-minenses que quiserem receber os alimentos através do Programa Vida no Prato, deverão se cadastrar no CRAS mais próximos de casa.

Por Sérgio Viana

Fotos: Arquivo Espacial FM


Galeria de fotos

Clique nas imagens para ampliar: