Capa da Página Reunião em Pará de Minas esclarece casos que devem ser encaminhados ao Posto Médico-Legal - - Notícias - JC Notícias Capa da Página

Icone previsão PARÁ DE MINAS - 14º MIN 32º MAX

Cadastre seu e-mail e receba nossas novidades

Icone IconeNotícias

03/03/2021 às 08:26h

Reunião em Pará de Minas esclarece casos que devem ser encaminhados ao Posto Médico-Legal

Facebook

A Polícia Civil de Minas Gerais recebeu, na última semana, no Posto Médico-Legal (PML) em Pará de Minas, uma representante da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do município para tratar de assuntos relacionados com o fluxo de emissão de declaração de óbito para os casos de vítimas de morte de causa natural sem assistência médica.

Na oportunidade, foi esclarecido e definido que, conforme preceitua a legislação vigente, casos desse tipo não devem ser encaminhadas ao PML para realização de necropsia, e sim à rede de saúde.

Segundo o manual do Ministério da Saúde sobre declaração de óbito, são consideradas mortes de causa natural aquelas que resultam de um processo esperado e previsível, ainda que não seja desejado, por exemplo, nos casos de envelhecimento natural, com esgotamento progressivo das funções orgânicas. Por outro lado, entende-se como morte violenta aquela que tem uma causa externa, ou seja, “que decorre de uma lesão provocada por violência”, como homicídio, suicídio e acidentes.

Durante a reunião com a diretora-geral da UPA, Mariana Resende Souza, o chefe do PML, médico-legista Rodolfo Elias Martins Ribeiro, explicou qual a atuação da Polícia Civil, é prevista nas leis em vigor:

Clique e ouça Rodolfo Ribeiro

Em 29 de junho de 2006, o Ministério da Saúde editou a Portaria 1.405, que dispõe sobre o Serviço de Verificação de Óbito (SVO). Porém, na ausência de SVO, a declaração de óbito deverá ser fornecida pelos médicos do serviço público de saúde mais próximo do local onde ocorreu o evento; e, na sua ausência, por qualquer médico da localidade, ainda que não estivesse prestando assistência ao paciente (fluxo descrito na Resolução nº 1.779/2005, do Conselho Federal Medicina).

Com informações da PCMG

Foto: PCMG


Galeria de fotos

Clique nas imagens para ampliar: