Capa da Página Tira-dúvidas: como funciona o autoteste de Covid aprovado pela Anvisa? - Saúde - JC Notícias Capa da Página

Icone previsão PARÁ DE MINAS - 13º MIN 25º MAX

Cadastre seu e-mail e receba nossas novidades

Icone IconeNotícias - Saúde

30/03/2022 às 07:18h

Tira-dúvidas: como funciona o autoteste de Covid aprovado pela Anvisa?

Facebook

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou nesta sexta-feira (28) a comercialização de testes de antígeno, mais conhecidos como autotestes, para detecção da Covid-19 em casa, com resultado saindo em até 30 minutos.

Enquanto o exame PCR-RT, considerado padrão-ouro para diagnóstico do coronavírus, identifica o material genético do vírus, incluindo as variantes, o autoteste é capaz apenas de detectar a presença de proteínas típicas do SARS-CoV-2.

O teste caseiro, segundo a Anvisa, poderá ser adquirido em farmácias e drogarias que tenham permissão para vender esse tipo de produto. Outros estabelecimentos de saúde, que comercializam dispositivos médicos, tais como curativos, meias de compressão, órtese, entre outros, também poderão disponibilizar o autoteste para seus clientes.

A agência alerta que o exame caseiro de antígeno não pode ser vendido em sites de e-commerce, como Mercado Livre, Amazon e Americanas.

Antes de ir até uma farmácia comprar o produto, é importante saber que ainda não existem autotestes autorizados para serem comercializados. As empresas ou representantes precisam de cadastro e liberação de venda da Vigilância Sanitária. Os testes aprovados pela agência estarão disponíveis.

O que é o autoteste?

O autoteste permite que a pessoa realize todas as etapas do diagnóstico de Covid por conta própria, desde a coleta da amostra até a interpretação do resultado, sem a necessidade de ajuda profissional – desde que siga as instruções que acompanham o produto.

Enquanto o PCR-RT usa um swab (espécie de cotonete comprido) para coleta de amostra na região da nasofaringe (fundo do nariz) ou da orofaringe (final da garganta), a Anvisa explica que o autoteste exige apenas material de dentro das narinas, não muito profundo, ou do interior da boca, conforme orientação do fabricante.

Por questão de segurança, usuários leigos não podem realizar autocoleta de amostras nasofaríngeas ou orofaríngeas usando swab, para evitar danos à saúde.

Para que serve?

De acordo com o infectologista Carlos Starling, a eficácia do autoteste depende justamente de quem faz e se foi realizado de forma correta . "Ele vem sendo utilizado em vários países como uma forma de contribuir com o autoisolamento. A pessoa se identifica como portadora do vírus e evita circular e transmitir a Covid-19 para os outros", diz o especialista.

Como iterpretar os três resultados possíveis do teste caseiro?

  • uma linha/traço vermelho fica visível na área "controle" (C) e na área "teste" (T) do dispositivo. Portanto, aparecem duas linhas, independentemente da intensidade da cor
  • apenas a linha/traço na área "controle" (C) fica visível no dispositivo de autoteste. Esse resultado não descarta a possibilidade de infecção pelo coronavírus, alerta a agência
  • ocorre quando o teste apresenta somente a linha/traço na área "teste" (T) ou deixa de exibir qualquer sinal. Se for difícil diferenciar as linhas das áreas "controle" e "teste", devido a imagens borradas, também é indicativo de erro.
  • Anvisa / Divulgação

Quando fazer o autoteste?

A recomendação da Anvisa é que o autoteste seja feito por quem apresentar sintomas ou tenha tido contato com alguém que foi diagnosticado com Covid.

Para quem apresenta sinais da doença, o teste pode ser utilizado entre o primeiro e o sétimo dia do início dos sintomas. Já a pessoa assintomática deve usar o exame caseiro a partir do quinto dia após o contato com indivíduo infectado pelo SARS-CoV-2.

De acordo com o infectologista, de 30% a 40% das pessoas contaminadas pela variante Ômicron não possuem sintomas ou eles são muito brandos. "Ainda assim, elas podem se autodiagnosticar e evitar contato com outras pessoas. É uma maneira de ajudar a diminuir a transmissão viral nas cidades", comenta Carlos Starling.

O autoteste não deve ser usado por quem estiver sentindo falta de ar, baixos níveis de saturação de oxigênio (abaixo de 95%), cianose (cor azulada nas unhas, pele, lábios), letargia (sono profundo), confusão mental, sinais de desidratação. A recomendação, nesse caso, é procurar atendimento médico de urgência.

Autoteste positivo representa confirmação de caso de Covid?

A Anvisa alerta que o autoteste não define um diagnóstico, que deve ser realizado por profissional de saúde. Seu caráter é apenas de orientação para o autoisolamento e os resultados positivos não serão reconhecidos como casos confirmados pelas autoridades públicas.

Mas em países que já adotam o autoteste há tempos, como Estados Unidos, Canadá e Reino Unido, quem testa positivo usando o exame de antígeno em casa pode até fazer a notificação oficial. "Em outros países existem sites específicos para que as pessoas diagnosticadas positivamente notifquem o caso. Se isso não acontece, se perde um pouco a sensibilidade das notificações", alerta Carlos Starling.

Deu positivo, e agora?

A recomendação do infectologista é que a pessoa que apresentar resultado positivo no autoteste confirme o diagnóstico por meio de exame de laboratório, como o PCR-RT, inclusive para conseguir o afastamento do trabalho, se for o caso.

Fonte: Hoje em Dia

Foto: Rádio Espacial FM / AdobeStock_323477669

Galeria de fotos

Clique nas imagens para ampliar: