Capa da Página Eduardo Costa tem os bens penhorados após acusação de estelionato - Revista - ESPACIAL FM Capa da Página

Icone previsão PARÁ DE MINAS - 17º MIN 26º MAX

Cadastre seu e-mail e receba nossas novidades

Notícias - Revista

11/01/2020 às 09:32h

Eduardo Costa tem os bens penhorados após acusação de estelionato

Facebook

A justiça atendeu o pedido de penhora da mansão de Eduardo Costa. O bloqueio aconteceu após pedido de um casal que afirma ter tido prejuízo milionário com o cantor. A Justiça determinou o bloqueio da mansão avaliada em R$9 milhões do cantor sertanejo Eduardo Costa, localizada na Pampulha. 

A decisão liminar atende a um pedido do advogado Arnaldo Soares Alves, representante de um casal que afirma ter levado prejuízo financeiro em uma transação imobiliária com o cantor. Segundo a investigação, Eduardo Costa negociou uma casa no balneário de Escarpas do Lago, em Capitólio, a 313 km de Belo Horizonte, em troca da casa na Pampulha.

No entanto, o cantor, no entanto, não avisou que o imóvel em Capitólio era alvo de duas ações. Entre elas uma movida pelo Ministério Público Federal (MPF), e a outra de reintegração de posse, promovida por Furnas Centrais Elétricas S.A.

As duas ações pediam a demolição parcial do imóvel porque o terreno está localizado em uma APP (Área de Preservação Ambiental) permanente. No caso da ação de Furnas, a Justiça já sentenciou determinando a demolição parcial do imóvel. Na prática, a casa valia menos do que o acordado e os compradores levaram prejuízo.

Entretanto o objetivo do bloqueio é garantir um eventual ressarcimento ao fim da tramitação do processo. Além disso, o autor da ação requer ainda o pagamento de indenização por danos materiais no valor de R$ 8,1 milhões mais R$ 1 milhão de danos morais, além de uma multa de R$ 900 mil por descumprimento contratual. O processo não tem data para ser julgado.

Eduardo Costa deixa a Talismã e rompe com a Sony Music

As acusações de machismo, agressão em shows, estelionato e ameaça de mortes são alguns dos assuntos que irritaram os executivos da Sony Music. Confirmado pelo Movimento Country, o sertanejo rescindiu o contrato com a gravadora e com a Talismã music foram rompidos no final de 2018.

No ano passado Nego do Borel, foi dispensado por Paulo Junqueiro, presidente das gravadora. A demissão veio após escândalos de homofobia e outras confusões envolvendo a sua equipe.


O que o novo DVD Cabaré, que será gravado no próximo dia 23 de janeiro em Curitiba, não será lançado lançado de forma independente e Eduardo Costa contará com o apoio financeiro do apresentador Ratinho.

Fonte: Uai.com.br

Galeria de fotos

Clique nas imagens para ampliar: