Capa da Página Cultive virtudes! - Cidadania - JC Notícias Capa da Página

Icone previsão PARÁ DE MINAS - 13º MIN 31º MAX

Cadastre seu e-mail e receba nossas novidades

Icone IconeNotícias - Cidadania

02/08/2017 às 11:39h

Cultive virtudes!

Facebook

  1. Polidez: o homem só se torna homem, pela educação. A educação é uma pequena coisa, que prepara grandes coisas, é um ritual sem divindade; um cerimonial sem culto; uma etiqueta sem monarca. Assim como a vela está para o fogo o homem está para a polidez: os dois derretem.

  2. Fidelidade: ao seu pensamento, a sua moral e às pessoas. A fidelidade está subordinada a uma lei moral.

  3. Prudência: se a polidez é a mãe de todas as virtudes, a fidelidade é seu princípio, mas a prudência é condição de todas as virtudes. Prudência é uma disposição que permite deliberar corretamente sobre o que é bom ou mau para o homem e agir em consequência como em conveniência.

  4. Temperança: que é a moderação pela qual permanecemos senhores de nossos prazeres e não seus escravos.

  5. Coragem: para resistir ao seu pior e ao pior do outro.

  6. Justiça: virtude da ordem equitativa.

  7. Generosidade: Agir não em função de determinado texto ou de determinada lei, mas além de qualquer texto de qualquer lei, mais em função e de acordo com as exigências do amor, da moral e da solidariedade. A generosidade é um desejo pelo qual um indivíduo, a partir do simples mandamento da razão, se esforça por assistir os outros homens, e estabelecer com eles um vínculo de amizade.

  8. Compaixão: a compaixão tem má reputação: ninguém gosta de ser objeto dela, nem tampouco senti-la. A compaixão ou misericórdia é o amor enquanto afeta o homem de tal sorte que ele regozije com a felicidade de outrem e se entristeça com seu infortúnio.

  9. Misericórdia: é a virtude do perdão e seu segredo é sua verdade. Ela não elimina a fala, mas o rancor; não combate a lembrança, mas o rancor e o ódio. Não é o amor, mas é o que se faz dele quando ele é impossível. Misericórdia: quando não se pode amar, para ao menos, de odiar.

  10. Gratidão: um segundo prazer, que prolonga um primeiro, como um eco de alegria à própria alegria; sentida como uma felicidade a mais para a felicidade.

  11. Humildade: é uma virtude humilde: ela até duvida que seja uma virtude! Quem se gabar de sua humildade mostraria simplesmente que ela lhe falta. É a virtude do homem que sabe que não é Deus.

  12. Simplicidade: como um passarinho nas florestas: leve e silencioso. O simples é um indivíduo real, reduzido a sua expressão mais ínfima. O simples vive como respira, sem maiores esforços, sem glória, sem maiores efeitos nem vergonha.

  13. Tolerância: na filosofia, que se opõe ao fanatismo ao sectarismo, ao autoritarismo, contudo admitindo a existência do outro inclusive com seus defeitos.

  14. Pureza: é não ver o mal onde ele verdadeiramente não existe. O impuro vê o mal em toda parte e tem prazer nele. O puro não vê o mal em parte alguma, apenas onde ele de fato se encontra, e sofre com ele. O amor que toma é impuro, o amor que dá ou contempla é a pureza.

  15. Doçura: é uma virtude feminina. Você será amado no dia que demonstrar sua fraqueza e o outro não se servir dela para demonstrar sua força.

  16. Boa-fé: ou sinceridade, veracidade, autenticidade. Como virtude é o amor ou o respeito à verdade, e a única fé que vale.

  17. Humor: um santo sem humor é um triste santo; um sábio sem humor nem se pode chamar de sábio. Um pouco de humor e um pouco de amor: um todo de alegria.

  18. Amor: amar de verdade e puramente não é tomar! Amar é olhar, aceitar, dar e perder, é alegrar-se até mesmo com o que não podemos possuir e com o que nos falta, é o que nos faz pobres às vezes, mas infinitamente felizes. O que fazemos por amor se consuma para além do bem e do mal. Amor é não é um mandamento, mas um ideal, esse ideal nos guia, nos ilumina. Age como se amasse.


Galeria de fotos

Clique nas imagens para ampliar: