Capa da Página Em ação na Justiça, Éderson cobra R$ 2 milhões e pede rescisão de contrato com Cruzeiro - Esporte - JC Notícias Capa da Página

Icone previsão PARÁ DE MINAS - 18º MIN 28º MAX

Cadastre seu e-mail e receba nossas novidades

Icone IconeNotícias - Esporte

CRUZEIRO MG

Em ação na Justiça, Éderson cobra R$ 2 milhões e pede rescisão de contrato com Cruzeiro

10/01/2020 às 08:52h

Facebook

Em ação na Justiça, o volante Éderson pede rescisão de contrato com o Cruzeiro. O motivo é o atraso em salários, direitos de imagem, férias, 13º e Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). A informação divulgada pela Rádio Itatiaia foi confirmada pelo Superesportes, que avançou no valor da causa: R$ 2 milhões.

Éderson faltou ao treinamento desta quinta-feira, na Toca da Raposa II, e não atendeu às ligações da diretoria do Cruzeiro. Ele teria ficado desapontado por causa de promessas de pagamento não cumpridas, já que fez alguns compromissos financeiros. Por isso, optou pela cobrança judicial.

Nesta sexta-feira, um dos empresários de Éderson, André Cury, terá reunião com o Cruzeiro para discutir o futuro do jogador e de outros clientes, como os zagueiros Leo e Ramon, e o atacante David.

Conforme apurado pela reportagem, Éderson estaria disposto a retirar a ação, desde que consiga a liberação do Cruzeiro. O jovem de 20 anos tem 60% dos direitos econômicos ligados ao clube, que pagou, ao todo, R$ 1,25 milhão ao Desportivo Brasil, de São Paulo. O contrato firmado em julho de 2019 é válido até agosto de 2023.

Em 2019, Éderson foi um dos poucos destaques na participação desastrosa do time celeste no Campeonato Brasileiro - rebaixado à Série B em 17º lugar, com 36 pontos em 38 rodadas. Em 21 jogos na competição, marcou dois gols.

Além de Éderson, o Cruzeiro lida com processos do zagueiro Fabrício Bruno, de R$ 3,5 milhões, e do meia Thiago Neves, de R$ 16 milhões. Os dois também requerem as quitações de salários atrasados e demais verbas trabalhistas.

Debandada

Por causa da crise financeira e dívida total de mais de R$ 700 milhões, o Cruzeiro tem sofrido debandada em seu grupo. Já deixaram o clube os volantes Jadson (Bahia) e Henrique (Fluminense), o lateral-esquerdo Egídio (Fluminense) e o meia Marquinhos Gabriel (Athletico-PR)

O lateral-direito Orejuela, adquirido por R$ 6 milhões ao Ajax-HOL com auxílio do patricinador máster da Raposa (Supermercados BH), pode ser emprestado a Palmeiras ou Flamengo. O zagueiro Dedé está na mira do Vasco, enquanto o lateral-esquerdo Dodô desperta o interesse do Internacional. Fred, Edilson e Sassá são outros candidatos a sair do clube.

Nesta quinta-feira, o Cruzeiro foi avisado pelo Bragantino que a negociação de compra dos direitos econômicos do zagueiro Fabrício Bruno não terá andamento. Os motivos apurados pela reportagem foram a ação movida pelo atleta contra o clube e também as saídas do vice-presidente de futebol Pedro Lourenço e de Alexandre Mattos.

Fabrício renderia R$ 2 milhões aos cofres celestes, além de ficar com R$ 800 mil como acerto de salários pendentes. Agora, a direção pretende se reunir novamente com os representantes do defensor para conseguir alternativas ao caso.

Em meio a tantas indefinições no elenco, o Cruzeiro não colocou nenhum atleta para conceder entrevista coletiva na pré-temporada. Quem falará nesta sexta-feira, às 15h, é o técnico Adilson Batista. Ele prepara a equipe visando à estreia no Campeonato Mineiro, contra o Boa, no dia 22 de janeiro (quarta-feira), às 21h30, no Mineirão.

Fonte: Super Esportes

Galeria de fotos

Clique nas imagens para ampliar: