Capa da Página Estudo diz que fast food tem mesmo efeito que suplemento após o treino - Saúde - JC Notícias Capa da Página

Icone previsão PARÁ DE MINAS - 9º MIN 29º MAX

Cadastre seu e-mail e receba nossas novidades

Icone IconeNotícias - Saúde

07/04/2015

Estudo diz que fast food tem mesmo efeito que suplemento após o treino

Facebook

Depois do treino, nada melhor que uma comidinha leve, certo? Errado! Um estudo realizado por cientistas da Universidade de Montana, nos Estados Unidos, mostra que comer fast food logo após a prática de exercícios pode ser tão benéfico quanto a ingestão de suplementos alimentares.

Segundo os especialistas, durante o período de recuperação muscular após a atividade física, não faz diferença o tipo de alimento consumido. O estudo foi publicado no International Journal of Sport Nutrition and Exercise Metabolism.

Os estudiosos revelam que, nos experimentos, 11 atletas homens foram convidados a jejuar por 12 horas, antes de um treino de resistência de 90 minutos. Depois disso, metade comeu bolos, batatas e suco de laranja, seguidos de hambúrguer, fritas e refrigerante cerca de duas horas depois. Já o outro grupo consumiu isotônico, manteiga de amendoim orgânica e cafeína, além de suplementos proteicos e energéticos, também duas horas depois. Depois das refeições, todos os participantes percorreram 20 quilômetros em uma bicicleta ergométrica.

Nas análises dos testes comparativos, os cientistas chegaram à conclusão de que o desempenho permaneceu o mesmo nos dois grupos após horas de descanso. No entanto, os níveis de glicogênio, usado como combustível pelos músculos, se apresentaram ligeiramente maiores depois de os voluntários ingerirem fast food em vez de suplementos durante a recuperação muscular.

Também não foram encontradas diferenças nas taxas de insulina, glicose e colesterol. E o mais importante: nenhum atleta reportou desconforto estomacal.

“Os dados indicam que as opções em curto prazo para iniciar a ressíntese de glicogênio (após a atividade física) pode incluir alimentos que não são normalmente comercializados como produtos de nutrição desportiva, como fast food”, escreveram os pesquisadores no artigo.

Porém, de acordo com o site do jornal britânico "Daily Mail", vale ressaltar que os estudiosos admitiram que o experimento foi realizado com uma amostra relativamente pequena de voluntários, e os efeitos em longo prazo da ingestão de fast food sobre a recuperação muscular não são conhecidos.

Fonte: O Tempo

Galeria de fotos

Clique nas imagens para ampliar: