Capa da Página Pesquisadores encontram vírus da febre amarela em novo tipo de mosquito - Saúde - JC Notícias Capa da Página

Icone previsão PARÁ DE MINAS - 19º MIN 29º MAX

Cadastre seu e-mail e receba nossas novidades

Icone IconeNotícias - Saúde

16/02/2018 às 15:15h

Pesquisadores encontram vírus da febre amarela em novo tipo de mosquito

Facebook

Pesquisadores descobriram uma espécie de mosquito que pode carregar ovírus da febre amarela silvestre para regiões urbanas. Os insetos foram capturados no ano passado, nos municípios de Alvarenga e Itueta, no leste deMinas Gerais, perto da divisa com o Espírito Santo.

O mosquito é da espécie Aedes albopictus – um primo do Aedes aegypti, conhecido como Tigre Asiático. Para Pedro Vasconcelos, diretor doInstituto Evandro Chagas, a grande quantidade de macacos infectados pelo vírus da febre amarela pode explicar a contaminação dos mosquitos.

O Aedes albopictus também transmite dengue e, em alguns países daÁsia, o vírus zika. Não se sabe se existe a relação desse mosquito com os casos de zika noBrasil.

Os cientistas vão estudar mais amostras do inseto em Minas Gerais, Rio de Janeiroe São Paulo. Em 60 dias, vão saber se o Tigre Asiático leva o vírus da febre amarela silvestre para as cidades. No Brasil, a febre amarela tem dois ciclos: a silvestre, transmitida por mosquitos Haemagogus e Sabethes, na região de matas e que contamina principalmente os macacos; e a febre amarela urbana, transmitida pelo Aedes aegypti, e que atinge os humanos.

Desde 1942, o país não registra casos de febre amarela urbana. Agora, os pesquisadores investigam se o Tigre Asiático criou um ciclo intermediário entre a febre amarela silvestre e a urbana. Isso nos colocaria ao lado de regiões da África, onde também existe um ciclo intermediário da doença. Pedro Vasconcelos destacou que o objetivo é saber se a quantidade de vírus que o Tigre Asiático carrega é inofensiva ou se pode transmitir febre amarela.

Desde o dia primeiro de julho do ano passado, o Ministério da Saúde confirmou 407 casos de febre amarela e 118 mortes. Os estados mais afetados foram São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e o Distrito Federal.

Apesar dos números, a campanha de vacinação, que terminaria neste fim de semana, imunizou apenas 3 milhões e 900 mil pessoas no Rio e em São Paulo. Menos de 20% do público-alvo. A meta é atingir 95% de cobertura. Por isso, o ministro da saúde, Ricardo Barros, fez um apelo para que a população destes estados compareçam aos postos de vacinação.

A vacinação contra febre amarela em São Paulo e no Rio de Janeiro  foi prorrogada por tempo indeterminado. Neste sábado, São Paulo terá mais um Dia D, de mobilização, e, na segunda-feira, também começa a vacinação na Bahia.

Fonte: EBC

Galeria de fotos

Clique nas imagens para ampliar: