Capa da Página Médico da rede pública de SP tem dificuldade para realizar teste que detecta coronavírus; paciente do RJ também enfrenta problemas - Destaques - JC Notícias Capa da Página

Icone previsão PARÁ DE MINAS - 9º MIN 25º MAX

Cadastre seu e-mail e receba nossas novidades

Icone IconeNotícias - Destaques

28/03/2020 às 09:00h

Médico da rede pública de SP tem dificuldade para realizar teste que detecta coronavírus; paciente do RJ também enfrenta problemas

Facebook

Um médico que atende em um hospital público na região do ABC Paulista afirma que aguarda o resultado do seu teste que diagnostica o coronavírus há 6 dias. Ele, que não quis se identificar, diz que começou a sentir dores no corpo e, por meio de exames de imagem, colegas diagnosticaram uma possível pneumonia, com isso, decidiu fazer o teste.

"A princípio eles tinham descartado o meu teste dizendo que eu não tinha preenchido os critérios para validação, ou seja, eles não queriam ter gasto com meu teste, só que eles esquecem que eu trabalho no hospital e a chance de eu estar contaminado e transmitir era grande", diz o médico.

"Se eu não faço tomografia eu estaria trabalhando normalmente, e, caso contaminado, eu estaria transmitindo para vários pacientes que eu atendo, inclusive, os imunossuprimidos, isso é grave", relata.

O médico conta que começou a sentir dores no corpo na quarta-feira (18) e que quando elas começaram a agravar decidiu fazer uma tomografia.

"Eu já mandei o exame para colegas, a gente começou a discutir e eu achei por bem me afastar e já entrar com a medicação visando uma possível pneumonia, caso o COVID-19 não viesse a ser positivado", afirma.

Com a suspeita, o médico decidiu fazer o teste que diagnostica a doença, mas enfrenta dificuldades para conseguir o diagnóstico. "Eu sabia que ia demorar e comecei a cobrar o teste. Eu soube ontem [quinta-feira (26)] que eles haviam descartado e o meu chefe acabou intervindo e pedindo que eles fizessem o teste", conta.

"O que a gente está vendo é que os exames estão com uma alta demanda, ao mesmo tempo são testes que provavelmente devem ser caros por conta dos reagentes e que eles estão selecionando os casos mais graves. Eles estão fazendo a coleta do caso mais grave e estão descartando casos que eles suspeitam, sem critério nenhum, que não precisam ser feitos. A gente acredita que o teste até segunda-feira (30) venha a ter o resultado, mas de certa forma é inadmissível. São mais de 9 dias de sintoma e a sorte é que fui fazer a tomografia", completa.

Um administradora de empresas relata que também enfrentou dificuldades para realizar exames no estado do Rio de Janeiro. Ela diz que começou os sintomas do coronavírus há 15 dias. Na época, decidiu procurar atendimento médico em um hospital particular da capital fluminense , mas que chegando a recepção estava cheia, com muitas pessoas tossindo com máscara e ela acabou desistindo.

Uma semana depois ela se dirigiu ao Hospital Vitória onde conta que foi atendida rapidamente, entretanto, ela diz que a médica passou a orientação de que ela não poderia realizar o teste que diagnostica o COVID-19.

"Eles me deram o diagnóstico que eu deveria ficar isolada me medicaram com um antialérgico um antitérmico e ponto-final. Estava me sentindo angustiada com essa dúvida antes, mas agora passou, já aceitei", afirma.

Fonte: G1

Foto: Thomas Kienzle / AFP

Galeria de fotos

Clique nas imagens para ampliar: