Capa da Página Cinco perguntas para Leni - Cultura - JC Notícias Capa da Página

Icone previsão PARÁ DE MINAS - 12º MIN 25º MAX

Cadastre seu e-mail e receba nossas novidades

Icone IconeNotícias - Cultura

29/06/2022 às 21:25h

Cinco perguntas para Leni

Facebook

A entrevistada de hoje é Leni Nunes Lopes. Certamente alguns leitores desta coluna devem ter tido contato com seu trabalho artístico. São utilitários de casa de bom gosto, práticos e sofisticados. Eu a conheci em eventos culturais e desde então a gente sempre troca informações artísticas. Leni já repassou seus conhecimentos em arte para crianças e adolescentes em projetos sociais da Prefeitura de Pará de Minas, Patronato e outras instituições.

JRP – Como começou seu interesse por arte?

L - A arte esteve sempre em minha família. Cresci neste meio: arte, música e esporte.

JRP – Seu trabalho, principalmente os utilitários, flerta, indissociavelmente com a história da arte por usar a técnica do mosaico em suas produções. Onde você aprendeu e como foi dominando a técnica?

L - Pergunta difícil, Zé Roberto! Iniciei minha vida profissional em Pará de Minas em um projeto da Prefeitura. Lá minha habilidade com artes foi novamente aflorada e foi lá que trabalhei com artes durante 4 anos. Depois passei mais 7 anos no projeto do Salesiano (Patronato) também trabalhando com artes. Após esse período passei a me dedicar integramente ao artesanato. E foi então, a partir daí, que comecei a aprimorar minhas técnicas de trabalho juntamente com outros conhecimentos. Foi isso que me levou a construir todo acervo de peças que tenho hoje. Estou sempre buscando inovações para anteder a demanda do mercado. Sempre com muita criatividade e amor.

JRP – As pessoas valorizam trabalhos artesanais?

L - Sim, pois o artesanato é um trabalho que leva um componente particular que é o amor colocado naquilo que está sendo construído. Não é um trabalho para ser comparado com peças industrializadas. São peças únicas. Quando as pessoas compram peças como as minhas, há de imediato uma identificação. (A peça identifica com características, traços das pessoas que vão recebê-las). O cliente leva junto toda aquela construção, harmonia de cores e carinho com a produção da peça. O retorno sempre acontece e é muito gratificante receber mensagens como: “Ficou lindo... Gostei!”.

JRP – Falta apoio governamental à produção artesanal? O que seria um bom incentivo aos profissionais dessa área?

L: Talvez falte um pouco mais de apoio do governo num todo, mas principalmente do governo municipal. No meu modo de pensar, entendo que poderia ser melhor, fornecendo mais apoio e oportunidades para os artesãos locais. Temos em Pará de Minas muitos, com qualidade de trabalho, que merecem ter seu trabalho valorizado.

JRP – Onde as pessoas podem conhecer seu trabalho?

L: Hoje eu tenho um espaço privilegiado aberto ao público, o “Ateliê leniartes”, localizado na rua sacramento, 272, loja 02, no centro de Pará de Minas. Divulgo meu trabalho pelo Instagram: @leniartes.artesmanuais e possuo uma loja online em: offstore.me//leniartes.

***

Adoramos a entrevista, Leni. Obrigado!


Galeria de fotos

Clique nas imagens para ampliar: