Capa da Página Manaus recebe 70 mil metros cúbicos de oxigênio vindos de Belém - Destaques - JC Notícias Capa da Página

Icone previsão PARÁ DE MINAS - 16º MIN 28º MAX

Cadastre seu e-mail e receba nossas novidades

Icone IconeNotícias - Destaques

16/01/2021 às 09:28h

Manaus recebe 70 mil metros cúbicos de oxigênio vindos de Belém

Facebook

Manaus recebeu, na madrugada deste sábado (16), uma carga de 70 mil metros cúbicos de oxigênio, vindos por meio de balsas da cidade de Belém, no Pará. Segundo o Governo do Amazonas, a nova remessa deve garantir a "retomada do do equilíbrio do abastecimento da rede de saúde do estado para os próximos dias".

A capital amazonense entrou em colapso por falta de oxigênio nos hospitais, que estão lotados por conta de aumento recorde de internações por Covid-19. O governador Wilson Lima disse que a demanda pelo oxigênio aumentou cinco vezes nos últimos 15 dias.

Até esta sexta-feira (15), em todo o estado, mais de 6 mil pessoas morreram por complicações da Covid-19. Manaus voltou a bater o recorde diário de enterros, e registrou 213 sepultamentos apenas nesta sexta.

Conforme o governo, o insumo foi adquirido pela fornecedora White Martins, e já começou a ser distribuído nos hospitais. Uma força-tarefa foi montada pelos governos estadual e federal, além de diversos outros órgãos e doadores, para enviar oxigênio para a cidade.

Na quinta, o déficit de oxigênio era de cerca de 48 mil por dia. Nos últimos dias, as Forças Armadas enviaram cilindros de oxigênio para hospitais de Manaus, em caráter de urgência. A capital também recebeu cargas de oxigênio e doações de diversos estados, e artistas, como Whindersson Nunes, também se mobilizaram para enviar insumos à cidade.

Fila por oxigênio
Uma fila enorme de familiares de doentes que precisam de oxigênio se formou nesta sexta-feira (15), em frente à White Martins em Manaus. A empresa é a principal fornecedora do produto na cidade.

Hospitais da capital amazonense não têm o gás, o que fez com que as pessoas tentassem, por conta própria, encher cilindros de oxigênio para ajudar parentes internados.

Muitas pessoas também buscam o produto por terem familiares, em casa, com outras doenças que dificultam a respiração.

Recém-nascidos internados correm risco

O Ministério da Saúde informou, nesta sexta (15), que adquiriu cilindros de oxigênio que devem durar 48h para manter 61 bebês prematuros em leitos de UTIs em Manaus. Estados já haviam sinalizado oferta de leitos para receber bebês e grávidas que possam ficar sem oxigênio na capital.

De acordo com o Ministério da Saúde, a medida atende a uma solicitação do Governo do Amazonas para recém-nascidos que estavam no limite de oxigênio. A pasta informou, ainda, que busca mais balas de oxigênio para que os prematuros não precisem ser transferidos para outros estados.

O Governo Federal informou que irá prestar apoio em todo o processo logístico de remoção. Nesta quinta, a Justiça determinou que a União também realiza, imediatamente, a transferência de pacientes que podem morrer pela falta de oxigênio.

Fonte: G1

Foto: Reprodução

Galeria de fotos

Clique nas imagens para ampliar: