Capa da Página Atlético empata com o RB Bragantino em jogo com polêmica pelo Brasileiro - Esporte - JC Notícias Capa da Página

Icone previsão PARÁ DE MINAS - 15º MIN 30º MAX

Cadastre seu e-mail e receba nossas novidades

Icone IconeNotícias - Esporte

ATLÉTICO MG

Atlético empata com o RB Bragantino em jogo com polêmica pelo Brasileiro

12/05/2022 às 07:45h

Facebook

Em jogo com polêmica de arbitragem no Estádio Nabi Abi Chedid, em Bragança Paulista, o Atlético buscou o empate com o RB Bragantino, por 1 a 1, em partida adiantada da 7ª rodada da Série A do Campeonato Brasileiro. No duelo, o gol atleticano foi marcado pelo meio-campista argentino Nacho Fernández, que balançou as redes pela terceira partida consecutiva.

O resultado faz com que o Galo suba, ainda que temporariamente, para a 6ª posição na tabela de classificação, com nove pontos. O time de Turco Mohamed segue sem vencer na principal competição nacional. Já são quatro tropeços consecutivos, com três empates e uma derrota.

Em Bragança Paulista, o Massa Bruta abriu o placar cedo, com belo gol de Ytalo. Ainda no primeiro tempo, houve grande polêmica de arbitragem em lance com pênalti anulado do Atlético. Já na segunda etapa, o Galo se lançou ao ataque e buscou o empate com um bonito gol de falta.

O próximo compromisso do Atlético é contra o Atlético-GO, às 19h do sábado (14), pela 6ª rodada da Série A do Campeonato Brasileiro. A partida será realizada no Estádio Independência, em Belo Horizonte.

Primeiro tempo com gol cedo e polêmica

O duelo no Nabi Abi Chedid teve um início movimentado, com as duas equipes buscando o protagonismo e tentando incomodar a saída de bola do adversário. O Atlético tinha mais posse, eliminando a primeira pressão do RB Bragantino, mas pecando no terço final. Quando perdia a bola, o time mineiro era agressivo para recuperar imediatamente.

O Galo buscava, prioritariamente, acionar Keno em situações vantajosas pela esquerda. Em lance de falta justamente pelo lado esquerdo aos 10 minutos, Sasha ameaçou com desvio de cabeça.


Apesar disso, aos 12 minutos, foi o Massa Bruta que abriu o placar. A jogada começou com erro na saída de bola do Atlético. Com muito espaço no lado esquerdo da defesa alvinegra, Artur teve tempo para cruzar milimetricamente para Ytalo, que antecipou Nathan Silva e acertou chute de rara felicidade no ângulo de Everson: 1 a 0.

O gol não alterou tanto o cenário da partida, com o Galo em busca do gol de empate. No entanto, uma grande polêmica de arbitragem "roubou a cena" aos 19 minutos. Após chute de fora da área de Guga, a bola foi desviada por Hurtado e sobrou para Arana. Livre, na cara do gol, o lateral-esquerdo finalizou duas vezes: primeiro, para defesa de Cleiton, e depois, para Léo Ortiz tirar a bola em cima da linha (a bola bateu na barriga do defensor e, posteriormente, no braço). 

De imediato, Bráulio da Silva Machado assinalou pênalti e expulsou o zagueiro do RB Bragantino. No entanto, após longa checagem no VAR, o árbitro optou pela anulação da marcação ao interpretar impedimento de Arana na origem da jogada. A polêmica reside no desvio de Hurtado, que, para muitos, foi deliberado e habilitou o lateral do Atlético no lance.

A anulação mudou o panorama da partida. O time paulista se sentiu mais confortável em campo e passou a incomodar mais o Galo, explorando especialmente o lado esquerdo da defesa alvinegra. Com muitas bolas longas, o time de Turco Mohamed cometia erros na saída e cedia a posse rapidamente ao Braga.

Helinho e Sorriso chutaram para fora em ótimas chances de gol dos mandantes. A segunda jogada surgiu novamente após falha no lado esquerdo da defesa do Atlético.

A equipe mineira só foi retomar o controle das iniciativas a partir dos 35 minutos, quando conseguiu avançar em campo com mais fluidez e "empurrar" o Massa Bruta para trás. No entanto, os erros técnicos no terço final seguiam atrapalhando a produtividade ofensiva. As melhores chances na reta final surgiram com finalizações de fora da área, por parte de Allan e Guga.

Na primeira etapa, Keno e Nacho Fernández foram os mais eficientes no Atlético. O primeiro com boas arrancadas e dribles pelo lado esquerdo. Já o segundo se movimentou por todo o campo, ofereceu opção de passe e distribuiu bem o jogo para os companheiros. O argentino foi a "cabeça pensante" dos melhores momentos do Galo no primeiro tempo.


Pressão alvinegra e empate

A estratégia do Atlético para o início do segundo tempo era clara: "sufocar" o RB Bragantino em busca de um empate rápido. Logo no primeiro minuto, Allan obrigou mais uma boa defesa de Cleiton com chute rasante de fora da área.

Com o decorrer do tempo, no entanto, a qualidade do Massa Bruta para a troca de passes esfriou o ímpeto atleticano. O time de Maurício Barbieri rodava a bola com rapidez e precisão, obrigando o Galo a correr para marcar.

A partir dos 10 minutos, o Atlético, que precisava buscar o resultado, voltou a assumir o controle da posse. Com mais um chute de fora da área, Guga levou perigo para a meta adversária, mas a bola passou por cima.

As linhas avançadas do Galo criavam, aos poucos, um cenário de ataque contra defesa no Nabi Abi Chedid. O RB Bragantino apostava na velocidade dos homens de frente para puxar contra-ataques, mas era a equipe mineira quem controlava as iniciativas. Até que aos 20 minutos, em jogada ensaiada, Nacho Fernández marcou belo gol com cobrança de falta, no contrapé de Cleiton: 1 a 1.

Aos 26 minutos, numa tentativa de conferir mais velocidade ao Atlético, Turco Mohamed promoveu a entrada de Ademir na vaga de Zaracho pelo lado direito do campo. O ponta-direito entrou com tudo no jogo e, logo de cara, deu bela arrancada de fora para dentro, driblando três marcadores. A jogada, apesar disso, não fluiu.

O cenário pós-gol de empate não se alterou. Protagonista, o Galo ocupava o campo de ataque e buscava a melhor maneira de penetrar na fechada defesa do Massa Bruta. Já aos 35 minutos, Guga, Jair e Keno deram lugar para Guilherme Castilho, Rubens e Otávio, nesta ordem.

Na reta final, as mudanças promovidas por Maurício Barbieri levaram o Bragantino ao ataque. O Atlético, que recuava cada vez mais, convidava perigosamente a equipe mandante ao seu campo - ainda que sem sofrer sustos. Aos 42 minutos, no entanto, após bela jogada pela esquerda, Arana ofereceu belo cruzamento para Sasha, que cabeceou para fora e desperdiçou boa chance para a virada.

Já na reta final, Savinho entrou na vaga de Nacho Fernández. Na reta final, ainda assim, nenhuma das equipes teve eficiência para pressionar em busca do gol de desempate. Fim de jogo, com igualdade no placar e o quarto tropeço consecutivo do Atlético no Brasileirão.

RB BRAGANTINO 1x1 ATLÉTICO

Fonte: Super Esportes

Foto: Rádio Espacial FM / Montagem


Galeria de fotos

Clique nas imagens para ampliar: