Capa da Página Fábio defende pênalti no fim, e Cruzeiro vence Uberlândia na reestreia de Marcelo Moreno - Esporte - JC Notícias Capa da Página

Icone previsão PARÁ DE MINAS - 12º MIN 28º MAX

Cadastre seu e-mail e receba nossas novidades

Icone IconeNotícias - Esporte

CRUZEIRO MG

Fábio defende pênalti no fim, e Cruzeiro vence Uberlândia na reestreia de Marcelo Moreno

02/03/2020 às 07:25h

Facebook

Os torcedores que compareceram ao Mineirão neste domingo para acompanhar a reestreia de Marcelo Moreno pelo Cruzeiro viram o goleiro Fábio sair de campo como herói. Ele defendeu pênalti de Diogo Peixoto, aos 46 minutos do segundo tempo, e assegurou a vitória por 2 a 1 sobre o Uberlândia, pela sétima rodada do Campeonato Mineiro.

A Raposa abriu o placar aos 11 minutos do primeiro tempo, em chute rasteiro do volante Pedro Bicalho, com assistência de Moreno. Na etapa final, aos 12 minutos, Jhulliam subiu sozinho no meio da área e deixou tudo igual para o Uberlândia. Porém, também em conclusão de cabeça, Arthur fez o segundo gol cruzeirense aos 43, após escanteio de Filipe Machado.

De acordo com o Footstats, o Uberlândia mostrou ampla superioridade em finalizações (17 a 7) e teve melhor aproveitamento em passes (92,51% a 91,22%), enquanto o Cruzeiro terminou o duelo com mais posse de bola: 55,35% a 44,65%.

Com o triunfo em Belo Horizonte, o time comandado por Adilson Batista chega à quarta posição no Campeonato Mineiro, com 14 pontos. O Atlético, que empatou por 1 a 1 com o Boa, em Varginha, caiu para quinto, com 12.

Durante a semana, o Cruzeiro se concentra na Copa do Brasil, pela qual enfrentará o Boa, às 21h30 de quarta-feira, no Estádio Melão, em jogo único da segunda fase. Em caso de empate no tempo normal, a vaga será definida nos pênaltis. A equipe classificada pegará o CRB na terceira fase.

Depois da Copa do Brasil, a Raposa volta a pensar no estadual. No sábado, às 19h, no Mineirão, haverá clássico contra o Atlético, pela oitava rodada, com mando de campo do rival.

O jogo

Nos treinamentos da semana, o técnico Adilson Batista escalou o Cruzeiro no 4-3-3. Ele cobrou aproximações dos volantes Jadsom e Pedro Bicalho ao ataque, além de muita movimentação do trio Everton Felipe, Maurício e Marcelo Moreno.

Os ensaios na Toca II deram certo. Com 11 minutos, Maurício deu passe de cabeça, Marcelo Moreno foi mais esperto que o zagueiro Rogério e ganhou a jogada dentro da área. Na linha de fundo, ele tocou rasteiro para trás, e Pedro Bicalho chegou batendo firme: 1 a 0.

O Cruzeiro encaixou outros dois bons ataques, porém a arbitragem assinalou impedimento de maneira correta. Aos 18’, João Lucas recebeu enfiada de bola de Maurício e chegou a balançar a rede na finalização. Aos 20’, Moreno tocou de peito, e Jadsom chutou em cima do goleiro Rafael.

A partir dali, o time celeste perdeu intensidade e deixou de envolver o adversário. A torcida manifestou incômodo com os sucessivos toques de bola entre laterais e zagueiros, sem evolução para um ataque perigoso.

O Uberlândia, por sua vez, começou a se animar. Apesar de pouco chegar à área do Cruzeiro, mostrava-se defensivamente organizado e disposto a pressionar a saída de bola. Fábio precisou trabalhar em conclusões de Jhulliam, aos 26’, e Fábio Alves, aos 40’.

O panorama da reta final do primeiro tempo foi mantido no início da etapa complementar. Aos 11’, o Uberlândia esteve perto de fazer o primeiro gol, quando Diogo Peixoto soltou a bomba de perna direita e exigiu grande defesa de Fábio.

De tanto insistir, a equipe do Triângulo empatou aos 12 minutos. Fábio Alves cobrou falta para o meio da área, e Jhulliam marcou de cabeça: 1 a 1. Artilheiro do Módulo II de 2019, com 12 gols em 13 partidas, o camisa 9 balançou a rede pela primeira vez na elite de 2020.

O Cruzeiro sentiu o baque e, com a bola no chão, foi presa fácil para a marcação do Uberlândia. Os torcedores se irritaram com a postura da equipe e vaiaram principalmente o lateral-esquerdo João Lucas, que até se apresentava para o jogo, mas falhava em passes e cruzamentos.

Adilson tentou dar sangue novo à equipe colocando os atacantes Caio Rosa, Welinton e Vinícius Popó, mas as dificuldades persistiram. Se de pé em pé não era possível, o jeito foi tentar pelo alto. Aos 43 minutos, Filipe Machado cobrou escanteio entre a marca do pênalti e a linha da pequena área, e o zagueiro Arthur cabeceou forte para recolocar o Cruzeiro em vantagem: 2 a 1.

A vitória sofrida que parecia certa quase escapou nos acréscimos, quando Valdir, aos 46 minutos, cometeu pênalti em Wandinho. Camisa 10 do Uberlândia, Diogo Peixoto buscou o canto direito, e Fábio caiu a tempo de espalmar a bola. Ele defendeu a 29ª cobrança em 879 jogos pelo clube.

CRUZEIRO 2X1 UBERLÂNDIA

Fonte: Super Esportes

Foto: Juarez Rodrigues/EM D.A Press



Galeria de fotos

Clique nas imagens para ampliar: