Capa da Página Justiça recebe denúncia do MP, e ex-dirigentes do Cruzeiro se tornam réus por quatro crimes - Esporte - JC Notícias Capa da Página

Icone previsão PARÁ DE MINAS - 2º MIN 23º MAX

Cadastre seu e-mail e receba nossas novidades

Icone IconeNotícias - Esporte

CRUZEIRO MG

Justiça recebe denúncia do MP, e ex-dirigentes do Cruzeiro se tornam réus por quatro crimes

12/11/2020 às 08:50h

Facebook

A Justiça aceitou a denúncia oferecida pelo Ministério Público de Minas Gerais contra integrantes da antiga diretoria do Cruzeiro. O ex-presidente Wagner Pires de Sá, o ex-vice-presidente de futebol Itair Machado e o ex-diretor-geral Sérgio Nonato vão responder por até quatro crimes: lavagem de dinheiro, apropriação indébita, falsidade ideológica e organização criminosa. Segundo o MPMG, o rombo nos cofres do clube na gestão de 2018/2019 foi estimado em R$ 6,5 milhões.

Além de Machado, Pires de Sá e Nonato, tornaram-se réus o ex-assessor de futebol Fabrício Visacro (cunhado de Itair); os empresários Wagner Cruz, Carlinhos Sabiá e Cristiano Richard dos Santos Machado; o ex-presidente do Ipatinga, Cristiano Polastri Araújo; e Ivo Gonçalves, pai do adolescente Estevão William, de 12 anos, considerado uma das grandes promessas das categorias de base da Raposa.

“A denúncia oferecida pelo MPMG contra ex-dirigentes do Cruzeiro e empresários foi recebida pela Justiça no dia 6 de novembro. Eles agora são réus em Ação Penal. A denúncia narra crimes de lavagem de dinheiro, apropriação indébita, falsidade ideológica e formação de organização criminosa. O prejuízo ao Cruzeiro, de acordo com o MPMG, é de cerca de R$ 6,5 milhões”, manifestou-se o órgão público, via Twitter.

O deputado estadual Léo Portela, que deixou o cargo de superintendente de relações institucionais e governamentais do Cruzeiro há quase um mês, também se posicionou na rede social. “Wagner Pires, Itair Machado e cia. acabam de se tornar RÉUS! O Juiz acatou a denúncia do MP e agora o processo começa a tramitar na 7ª Vara Criminal. Não haverá misericórdia para essa quadrilha!”.

O Superesportes tentou contato com alguns dos réus. Apenas Itair Machado respondeu à reportagem. Ele se mostrou confiante em provar que não cometeu nenhum delito. “Tenho certeza que agora vou provar minha inocência e mostrar que tudo foi armação política”. Recentemente, o ex-vice de futebol teve o carro modelo BMW X1 apedrejado em uma avenida da Região Centro-Sul de Belo Horizonte. O agressor filmou a ação e espalhou as imagens em grupos de WhatsApp.

Há quase um mês, no dia 15 de outubro, o Ministério Público deu detalhes das denúncias e pediu o pagamento de indenização dos acusados ao Cruzeiro. “Em função desses crimes, foi apurado um prejuízo da ordem de R$ 6,5 milhões contra o Cruzeiro, valor que o Ministério Público pede que os denunciados por apropriação indébita ressarçam o clube. Além disso, o MP também formulou o pedido para que as pessoas denunciadas por integrar a organização criminosa indenizem o clube por dano a sua imagem neste mesmo montante de R$ 6,5 milhões”, explicou o promotor Daniel Sá.

Em 11 de agosto, a Polícia Civil de Minas Gerais já havia divulgado o andamento das investigações contra os ex-dirigentes. Foi identificado um prejuízo de aproximadamente R$ 8,2 milhões nas contas do clube. Com correção monetária, a quantia chega a R$ 10 milhões (clique aqui e relembre o caso). A corporação analisou computadores, documentos e mais de 50 mil e-mails relacionados à gestão iniciada em janeiro de 2018 e encerrada em dezembro de 2019.

Saiba os crimes que cada um dos denunciados vai responder:

Wagner Pires de Sá - falsidade ideológica, apropriação indébita e formação de organização criminosa

Itair Machado -  lavagem de dinheiro, apropriação indébita, falsidade ideológica e formação de organização criminosa

Sérgio Nonato - organização criminosa e apropriação indébita


Empresários Wagner Cruz, Carlinhos Sabiá e Cristiano Richard - acusados de integrar organização criminosa e apropriação indébita, sendo que dois deles ainda responderão por lavagem de dinheiro

Ivo Gonçalves - falsidade ideológica

Cristiano Araújo - lavagem de dinheiro

Fabrício Visacro - apropriação indébita


Fonte: Super Esportes

Foto:Túlio Santos/EM D.A Press

Galeria de fotos

Clique nas imagens para ampliar: