Capa da Página Robinho é intimado a informar quando estará no Brasil para marcar nova audiência com Atlético - Esporte - JC Notícias Capa da Página

Icone previsão PARÁ DE MINAS - 14º MIN 35º MAX

Cadastre seu e-mail e receba nossas novidades

Icone IconeNotícias - Esporte

ATLÉTICO MG

Robinho é intimado a informar quando estará no Brasil para marcar nova audiência com Atlético

21/05/2020 às 09:00h

Facebook


O atacante Robinho, do Basaksehir, da Turquia, foi intimado a informar, nos próximos cinco dias, quando estará no Brasil. Após a definição, a Justiça do Trabalho determinará a data de uma nova audiência entre o jogador de 36 anos e o Atlético. O ex-camisa 7 do Galo reivindica salários e direitos de imagens não pagos que, segundo ele, totalizam quase R$ 5 milhões.

Robinho foi “intimado para, no prazo de 5 dias, informar ao Juízo as datas em que estará no Brasil e que possa comparecer à audiência, evitando-se, assim, novos e sucessivos adiamentos”. Inicialmente, a segunda audiência estava marcada para o dia 3 de junho, mas a tendência é de que seja adiada.

A primeira audiência aconteceu em janeiro deste ano. Robinho não compareceu. Marisa Alija, advogada do jogador, esteve em Belo Horizonte com o jovem Sandro Perpetuo, volante de 18 anos que pertence ao Santos. O garoto é apadrinhado pelo ‘rei das pedaladas’ e trabalha também com a advogada. Ele representou o ex-jogador do Galo.
Entenda a ação
Em contato com o Superesportes no fim do ano passado, Marisa disse que acredita em um acordo futuro com o Atlético. Segundo ela, o atacante fez esse movimento para não perder o prazo judicial para reclamar os valores devidos.

"Precisávamos proteger o direito de cobrança. Se passassem 2 anos, já não poderíamos cobrar judicialmente. Mas estamos sempre abertos ao clube para compormos um acordo, e acredito que faremos isso ao longo do processo", disse.

A ação não estava sob sigilo judicial, e os valores foram divulgados. Na petição inicial, o jogador informou os valores salariais no Atlético: R$ 300 mil de salário, R$ 315 mil de direitos de imagem e um bônus de 500 mil dólares por ano "pela licença pelo uso, exploração, veiculação e utilização do nome, apelido desportivo, voz e imagem do atleta".

Robinho também cobrava o valor de R$ 2,1 milhões, um bônus que deveria ser pago pela DryWorld, ex-patrocinadora do Atlético. Como a marca canadense abandonou o contrato com o alvinegro, o jogador entende que o clube deve arcar com os valores.
Robinho no Atlético
No clube, Robinho teve uma temporada de estreia arrasadora. Foi artilheiro do Campeonato Mineiro e importante peça na campanha do vice-campeonato da Copa do Brasil (3 gols) e quarto lugar no Campeonato Brasileiro (12 gols e oito assistências).

O camisa 7 encerrou 2016 como artilheiro do país (25 gols) e líder de assistências do Galo (10). No ano, ele balançou as redes em momentos decisivos, como na semifinal da Copa do Brasil, contra o Internacional, e de vitórias cruciais no Brasileirão.

Em 2017, a magia de Robinho não se repetiu. No começo do ano, Robinho não se exibiu em bom nível, mas marcou gols importantes, como na final do Campeonato Mineiro, contra o Cruzeiro. Pouco depois, amargou o maior jejum de gols da carreira. Foram 23 partidas sem marcar e banco de reservas com o técnico Rogério Micale.

Na estreia de Oswaldo de Oliveira, contra o Atlético-PR, ele garantiu a vitória alvinegra ao balançar as redes duas vezes. Foram seis gols sob o comando do novo treinador (dois deles garantiram vitória em clássico contra o Cruzeiro, no Mineirão), confirmando o seu melhor momento na temporada.

Ele encerrou o ano com 13 gols e 10 assistências. Robinho finalizou sua passagem pelo Atlético com 109 jogos, 35 gols e 20 assistências.

Fonte: Super Esportes

Foto: Bruno Cantini/Atlético

Galeria de fotos

Clique nas imagens para ampliar: