Capa da Página Bondinho do Pão de Açúcar: 110 anos de um ícone do turismo mundial - Turismo - JC Notícias Capa da Página

Icone previsão PARÁ DE MINAS - 8º MIN 24º MAX

Cadastre seu e-mail e receba nossas novidades

Icone IconeNotícias - Turismo

27/06/2022 às 10:15h

Bondinho do Pão de Açúcar: 110 anos de um ícone do turismo mundial

Facebook

“Minha alma canta, vejo o Rio de Janeiro.” O primeiro verso do “Samba do avião”, de Tom Jobim, pode ser a trilha sonora deste passeio, apenas com uma mudança: no lugar de avião, embarcamos no charmoso diminutivo bondinho diante da paisagem espetacular da Cidade Maravilhosa. Pois o bondinho, pelo qual se chega ao topo do Pão de Açúcar, tem ótimo motivo para celebrar seu vaivém pelo ar, pois vai completar, em outubro, 110 anos de história e viagens curtidas por turistas do mundo inteiro. A festa começou no dia 25 e promete surpresas ao longo dos próximos meses.

“Rio, seu mar, praias sem fim...”. E segue a música do compositor, coladinha no ouvido, indicando a vastidão de tons, movimentos, água, terra e matas da cidade. Vistos do alto do bondinho, todos os elementos da natureza se harmonizam e mostram que o passeio é bom “à beça”, como dizem dos cariocas.

“Adoro passear na minha cidade, fotografar os lugares, e o Pão de Açúcar é imperdível, ainda mais com o bondinho fazendo aniversário”, diz a “carioca da gema” Ana Maria Nogueira da Costa Braga, professora de história e sociologia e moradora de Copacabana. Para Ana Maria, do alto se tem a parte mais bonita do Rio: “No outono, o céu fica muito azul, sem nuvens, uma paisagem deslumbrante”.

Mineiros em férias aproveitam os atrativos da capital fluminense. “Vou voltar lá assim que puder. Vi um show no Morro da Urca, algo inesquecível... boa música nas alturas, e a emoção de ver o mar, a cidade toda iluminada”, conta o biólogo Cristiano Massara, morador do Bairro Padre Eustáquio, na Região Noroeste de Belo Horizonte.

ILUSTRES VISITANTES

Quem ainda não conhece o transporte e o topo do Pão de Açúcar não sabe o que está perdendo. Centenas de figuras ilustres já o visitaram, entre eles o cientista Albert Einstein (1879-1955), o cantor e compositor Bob Marley (1945-1981), John Kennedy (1917-1963) em 1941, duas décadas antes de se tornar presidente dos Estados Unidos, a cantora Tina Turner, o ator Robert de Niro, o príncipe Harry, a atriz Natalie Portman e a paquistanesa Malala Yousafzai, ganhadora do Prêmio Nobel da Paz.

Para os amantes de aventura e cinema, vale lembrar que o Parque Bondinho Pão de Açúcar – esse é o nome e sobrenome do ponto turístico, que tem, como ícone, o teleférico mais antigo em funcionamento do planeta – foi cenário do filme “007 contra o foguete da morte”, de 1979, no qual o agente secreto britânico James Bond, então interpretado pelo ator Roger Moore, derrota seu famoso inimigo Dentes de Aço. Em uma das sequências, Bond se equilibra a mais de 500 metros de altura, nos cabos de aço.

No bondinho, você pode ouvir diversos sotaques brasileiros e idiomas; afinal, anualmente, cerca de 1,6 milhão de pessoas passam por um dos locais mais visitados do país e do mundo. No parque turístico, encontra-se um conjunto de atrações que tornam o passeio experiência deliciosa e única. E os números são superlativos. Nos 110 anos de funcionamento, o Parque Bondinho Pão de Açúcar recebeu cerca de 50 milhões de visitantes.

O trecho inicial liga a Praia Vermelha ao Morro da Urca, numa extensão de 528 metros, a 227 metros de altura. Outros 750 metros separam o Morro da Urca do Pão de Açúcar, sendo o ponto mais alto com 396 metros acima do nível do mar.

Claro que, em tempos atuais, o celular “não fica quieto” e todo canto se torna cenário de selfie. Mas, desta vez, para curtir bem a paisagem, o melhor é esquecê-lo um pouco é contemplar, arregalar bem os olhos diante da imensidão e guardar na memória os bons momentos. Mas, claro, leitor, tire suas fotos e depois relembre os momentos – sozinho, em família, com os amigos.

HISTÓRIA

Inaugurado em 27 de outubro de 1912, por Augusto Ferreira Ramos, o Parque Bondinho Pão de Açúcar inseriu o Rio de Janeiro no roteiro das grandes atrações turísticas internacionais. O segundo trecho, que liga o Morro da Urca ao Pão de Açúcar, entrou em funcionamento poucos meses depois, em 18 de janeiro de 1913.Em 1962, o engenheiro Cristóvão Leite de Castro assumiu a direção da empresa e foi o responsável pela modernização das estações e pelo investimento na implementação do novo sistema do teleférico do parque, ocorrido em 1972. Em 2008, foram instaladas as novas cabines do Parque Bondinho Pão de Açúcar, fabricadas na Suíça, com decoração interna e painel de controle mais avançado, pintura externa diferenciada e estrutura com melhorias de segurança.

No processo de manutenção preventiva e evolutiva, em junho do ano passado foram trocadas as polias originais do teleférico, de 1972. As polias (tipo roldanas, peças usadas no sistema teleférico) foram importadas da Itália, chegaram de navio e foram transportadas até o Morro da Urca pelo sistema teleférico. A operação de troca contou com equipe multidisciplinar de 50 pessoas, entre funcionários próprios e terceiros. A operação envolveu a retirada das polias antigas, que pesam cerca de 7 toneladas, e o posicionamento das polias novas, de 10t.

ESTAÇÕES

No primeiro desembarque, na Estação Morro da Urca, o visitante chega à Praça dos Bondes, onde estão expostos bondinhos de gerações anteriores, de 1912 e 1972. Além dos antigos teleféricos, o público pode conferir duas esculturas de bronze, em tamanho real, dos responsáveis pela idealização e implantação de cada um deles (Augusto Ferreira Ramos e Cristóvão Leite de Castro). À direita, fica a Via Verde, caminho suspenso que circunda uma das faces do Morro da Urca e é um excelente ponto de observação da fauna e da flora locais.

E tem mais: em direção à estação que leva ao Pão de Açúcar, o visitante encontra o anfiteatro e o Espaço de Memória Cocuruto, no qual é possível fazer uma viagem ao passado. Toda a trajetória do bondinho é contada de forma interativa. Também no Morro da Urca há opções de lojas, restaurantes e lanchonetes, além de um serviço de voos de helicóptero oferecido por empresa terceirizada.

“Rio de sol, de céu, de mar...”. Na Estação Pão de Açúcar, segundo desembarque, a 396 metros acima do nível do mar, o visitante tem diante dos olhos mais de 20 praias do Rio e de Niterói. Além da orla da Zona Sul, dá para ver a Pedra da Gávea, o Maciço da Tijuca e o Corcovado, com a imagem do Cristo Redentor, que ganha homenagem especial no “Samba do avião”. Só mesmo vendo para crer e se encantar com a Baía de Guanabara, a Enseada de Botafogo, o Centro da cidade, o Aeroporto Santos Dumont e outros. O local também oferece opções de lojas e restaurantes.
Fonte: em.com.br
Foto: Radio Espacial FM / AdobeStock_492368269


Galeria de fotos

Clique nas imagens para ampliar: