Capa da Página Novo Audi A3 chega com as carrocerias hatch e sedã, a partir de R$ 229.990 - Veículos - JC Notícias Capa da Página

Icone previsão PARÁ DE MINAS - 21º MIN 30º MAX

Cadastre seu e-mail e receba nossas novidades

Icone IconeNotícias - Veículos

06/12/2021 às 07:21h

Novo Audi A3 chega com as carrocerias hatch e sedã, a partir de R$ 229.990

Facebook

São Paulo – Você se lembra do Audi A3? Pois é, ele andava sumido do Brasil desde que deixou de ser produzido no Paraná, no fim do ano passado. Mas agora ele retorna nas carrocerias hatch (Sportback) e sedã. De acordo com o fabricante, trata-se de um veículo totalmente novo, mais sofisticado e com mais tecnologia. Os modelos são vendidos nas versões S Line Limited 1.4 (R$ 229.990) e Performance Black 2.0 (R$ 264.990).

A quarta geração do A3 chega ao Brasil, vinda da fábrica de Ingolstadt, na Alemanha. Com as carrocerias do hatch e sedã feitas com aços de alta resistência e capô em alumínio, para aliviar o peso, o novo A3 teve o visual repaginado. A grade frontal ficou mais ampla, com desenho octagonal, tipo bocão, e recheio no estilo colmeia. Nas extremidades do para-choque dianteiro, entradas de ar maiores, para dar um toque de esportividade e auxiliar na refrigeração.

Os faróis full LED ganharam novo formato e nova assinatura de LED. O capô com quatro vincos marcantes reforçam as formas aerodinâmicas do hatch e do sedã, que trazem ainda a linha de cintura mais elevada. Os para-lamas estão mais pronunciados, conferindo aspecto mais robusto aos modelos. Na traseira, as novas lanternas em LED têm formato 3D, o para-choque foi redesenhado e agora acomodam duas saídas do escapamento. As rodas de liga leve são de 18 polegadas, com desenhos diferentes para cada versão.

INTERIOR Por dentro o novo Audi A3 traz mais sofisticação, com acabamento de boa qualidade. O painel tem linhas horizontais, com estilo rebuscado, e instrumentos digitais com três possibilidades de configurações. O volante é esportivo, multifuncional, com a base achatada e revestimento em couro.

O novo cockpit traz tela central de alta definição tátil de 10,1 polegadas do sistema MMI. A central multimídia tem conectividade por Apple CarPlay e Android Auto, além de comando por voz. O sistema permite o emparelhamento de até dois celulares por Bluetooth, carregamento da bateria por indução e ainda disponibiliza duas entradas USB-C no console e atrás. O desenho das saídas do ar-condicionado no painel foram inspiradas no Lamborghini Urus. Outra novidade é o botão sensorial no console, que possibilita a operação intuitiva do sistema de som.

O Audi Virtual Cockpit, nome pomposo do painel de instrumentos, tem tela de 12,3 polegadas e resolução full HD. Ele pode ser configurado em três diferentes layouts: clássico, dinâmico e Sport. Mas não oferece a possibilidade da exibição do mapa de navegação, que só pode ser visualizado na central multimídia. Aliás, os novos A3 não trazem GPS nativo, já que a navegação é feita somente por aplicativos.

No hatch, o porta-malas tem 380 litros de capacidade e o assoalho pode ser regulado em dois níveis, facilitando a acomodação da bagagem. Além disso, o tampão do bagageiro pode ser alojado abaixo do assoalho, no caso de transporte de objetos maiores. Já o porta-malas do sedã tem capacidade de 425 litros.

MOTORES As versões mais mansas do novo A3 são equipadas com o motor 1.4 turbo, de 150cv e 25,5kgfm de torque, associado ao câmbio automático Tiptronic de oito velocidades. Com esse conjunto, tanto o hatch quanto o sedã aceleram até 100km\h em 8,8 segundos e têm máxima de 219km\h (Sportback) e 227km\h (sedã). Já o motor 2.0 turbo desenvolve 190cv e 32,6kgfm de torque, trabalhando em conjunto com o câmbio S Tronic de sete velocidades. Com esse conjunto, a máxima é de 241km\h para o Sportback e 248km\h para o sedã, com aceleração até 100km\h em 7,4 segundos. Ambos têm tração dianteira e suspensão traseira multilink.

AO VOLANTE Dirigimos os novos Audi A3 de São Paulo a Tatuí, por estradas planas e bem pavimentadas. No asfalto liso, o hatch com motor 2.0 mostrou que tem boas reações tanto nas arrancadas quanto nas retomadas de velocidade. Porém, o câmbio S Tronic tem um pequeno atraso nas trocas de marchas, problema que pode ser resolvido com o uso dos shift paddles. As suspensões garantem boa estabilidade em curvas, além de conforto ao rodar. O sedã com o motor 1.4 tem desempenho um pouco mais tímido, mas também com agilidade e bons números de consumo. Na estrada chegou a registrar 14,4km\l.

Fonte: em.com.br

Galeria de fotos

Clique nas imagens para ampliar: