Capa da Página O fato real por detrás da foto - Cidadania - JC Notícias Capa da Página

Icone previsão PARÁ DE MINAS - 19º MIN 28º MAX

Cadastre seu e-mail e receba nossas novidades

Icone IconeNotícias - Cidadania

13/07/2017 às 10:43h

O fato real por detrás da foto

Facebook

          


Esta fotografia, ganhadora do prêmio Pulitzerm de 1969, é um símbolo da crueldade dos conflitos bélicos. Estamos ante uma das imagens mais estremecedoras do século passado. No entanto, pouca gente sabia a história por trás da captura. Mudaria em algo a realidade? Vejamos primeiro o contexto da foto. A Guerra do Vietnã (ou a Segunda Guerra da Indochina) aconteceu entre 1955 e 1975. O que em princípio ia ser uma Guerra Civil se transformou em uma grande guerra internacional com dois bandos muito diferenciados.

Por um lado, a República do Vietnã com o apoio dos Estados Unidos e outras nações aliadas. Por outro, a Frente Nacional de Libertação do Vietnã (Viet Cong) e o exército da República Democrática do Vietnã com o apoio da União Soviética e China.

O resultado final foi devastador: calcula-se que morreram quase 6 milhões de pessoas. Como em todas as guerras, há centenas de fotos que refletiram a barbárie do que ocorreu. No entanto, uma se converteu no símbolo daqueles dias.

Ocorreu em 1 de fevereiro de 1968. Nguyen Ngoc Loan, um general sul-vietnamita atraiu a atenção mundial quando nesse dia atirou na cabeça de um prisioneiro algemado no meio de uma rua de Saigon, Nguyen Van Lem. A execução aconteceu ante um câmera da NBC e o fotógrafo Eddie Adams da AP.

A foto em preto e branco de Eddie ficou mundialmente conhecida e ganharia o prêmio Pulitzer no ano seguinte. Poucas vezes podemos sentir a crueldade de um conflito como nessa foto. De fato, percebemos uma brutalidade inegável no registro, mas inclusive o próprio Eddie Adams admitiu mais tarde que não contou toda a história e declarou que desejava não tê-la fotografado.

Observando a imagem fora de contexto, parece como se um oficial matasse um prisioneiro inocente, talvez inclusive um civil. Visto assim, poderíamos estar presenciando um selvagem crime de guerra.

De fato, essa é a razão pela qual a imagem foi adotada pelos manifestantes contra as guerras do planeta, em seu momento como arma de efeito moral contra a própria guerra do Vietnã. Agora bem, quando compreendemos a história por trás do homem que está sendo executado na foto, o razoamento por trás da execução cobra outro sentido.

Eddie contou que o nome do homem era Nguyen Van Lem, também conhecido como Capitão Bay Lop. Lem não era civil; era um membro ativo do Viet Cong. Não só isso, também era um assassino e líder de um esquadrão da morte que apontava e matava oficiais e famílias da Polícia Nacional de Vietnã do Sul.

Naquele dia, a equipe de Lem se infiltrou em Saigon com a firme intenção de matar vários funcionários públicos sul-vietnamitas junto a suas famílias. Ademais, seu principal objetivo era acabar com a vida do Major General Nguyen Ngoc Loan.

Pois se não fosse o bastante, Lem fora o responsável pelo assassinato de um dos oficiais mais antigos de Loan, o tenente-coronel Nguyen Tuan, bem como pela morte da esposa, seis filhos e a degola da mãe de Tuan.

O final já conhecemos, Lem foi capturado perto de uma fossa maciça com 34 corpos civis, que ele confessou-se orgulhoso de ter executado, e Loan se vingou com um disparo na cabeça, com o adendo de que, segundo o artigo 4 da Terceira Convenção de Genebra de 1949, a execução sumária de Lem foi provavelmente legal sobre o aspecto do direito militar.

O curioso é que mesmo assim, muitos seguiram ignorando a verdadeira história por trás desta foto. Os pacifistas continuaram mostrando-a como o símbolo da crueldade do exército com os cidadãos de Vietnã do Norte. Falso, ainda que sem o contexto necessário, seguia tendo a mesma força que a primeira vez.



Por Ronaldo Galvão


Galeria de fotos

Clique nas imagens para ampliar: