Capa da Página Minas Gerais terá R$ 10 milhões para combater estragos da seca em 2015 - Destaques - JC Notícias Capa da Página

Icone previsão PARÁ DE MINAS - 20º MIN 27º MAX

Cadastre seu e-mail e receba nossas novidades

Icone IconeNotícias - Destaques

09/07/2015

Minas Gerais terá R$ 10 milhões para combater estragos da seca em 2015

Facebook

Minas Gerais terá R$ 10 milhões para combater os estragos causados pelo período seco neste ano. O valor faz parte do Plano de Convivência com a Seca 2015, lançado nesta quarta-feira (8), pela Secretaria de Estado Desenvolvimento e Integração do Norte e Nordeste de Minas Gerais (Sedinor) e Coordenadoria Estadual de Defesa Civil de Minas Gerais (Cedec-MG), em Montes Claros, no Norte de Minas.

Do total do recurso, parte proveniente do Ministério da Integração Nacional, R$ 7 milhões serão para atendimento com caminhões-pipa e R$ 3 milhões para implantação de adutoras de engate rápido, sistema para bombear água de barragens ou rios. O plano ainda traça metas e ações preventivas e emergenciais para auxiliar os municípios mineiros prejudicados pela estiagem.

As ações contemplam 109 municípios que decretaram situação de emergência em Minas Gerais, sendo que 94,5% destes estão na área de abrangência da Sedinor. O secretário da pasta, Paulo Guedes, enfatiza a importância deste apoio aos municípios. “Estamos vivendo uma seca que dura quatro anos e vem se agravando. Esse investimento suprirá a necessidade básica de água potável”, explica ao lembrar que as ações emergenciais se somam a outros investimentos que estão sendo feitos pela Sedinor na região, para amenizar os efeitos da seca.

Por meio do programa Água para Todos e do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2), serão investidos R$ 540 milhões nas regiões Norte e Nordeste de Minas Gerais. Desse total, já foram aplicados, até o momento, aproximadamente R$ 170 milhões em várias tecnologias: cisternas de polietileno, cisternas de placas para consumo humano, cisternas de placas para produção agrícola, barreiros, pequenas barragens e sistemas coletivos de abastecimento de água.

O superintendente administrativo da Cedec, major Arnaldo Afonso, explica que a Defesa Civil Estadual complementará o Plano de Convivência: “Serão distribuídas cestas básicas para a população rural em situação de emergência. Muitas famílias perderam suas plantações que são fonte renda e de alimentação”, ressalta.

O presidente da Associação dos Municípios da Área Mineira da Sudene (Amams), César Emílio, relatou que muitos municípios do Norte de Minas vivem um cenário desolador devido ao agravamento da crise hídrica. Ele disse que a Amams tem realizado reuniões itinerantes para formatar uma pauta única em favor da região. “Estamos no mês de julho e nossos rios e córregos já estão secos.Então vamos reunir forças para buscar mais investimentos, vencer a burocracia e tirar do papel obras importantes para a região”, destacou.

Durante o evento, a Unimontes também divulgou o funcionamento do site do Centro de Estudos de Convivência com o Semiárido. O portal fornece dicas, mecanismos e ações técnicas para manter e captar água.

Orientação aos municípios
Os gestores municipais foram orientados sobre a gravidade da seca prevista para este ano e a necessidade da utilização racional da água e energia elétrica.

Foram apresentadas ainda técnicas para preenchimento de dados do Sistema Integrado de Informações de Desastres. Para receber os recursos federais de combate aos efeitos da seca, o município precisa apresentar a documentação preenchida corretamente para o reconhecido do Ministério da Integração Nacional.

Fonte: Hoje em Dia

Galeria de fotos

Clique nas imagens para ampliar: