Capa da Página Trecho da avenida Presidente Vargas segue interditado após Prefeitura e COPEM não entrarem em acordo - - Notícias - JC Notícias Capa da Página

Icone previsão PARÁ DE MINAS - 19º MIN 31º MAX

Cadastre seu e-mail e receba nossas novidades

Icone IconeNotícias

07/12/2019 às 09:03h

Trecho da avenida Presidente Vargas segue interditado após Prefeitura e COPEM não entrarem em acordo

Facebook

Recentemente, o Jornal da Cidade noticiou que a Prefeitura de Pará de Minas se prepara para concluir as obras da avenida Presidente Vargas. Mas, para terminar totalmente a reforma da via, um problema precisa ser solucionado: o terreno de propriedade da COPEM, localizado ao lado do Clube AABB. No início do segundo semestre, acreditava-se que as partes haviam chegado em um acordo, mas a boa relação entre o executivo e a empresa de loteamentos não perdurou.

Até o momento, as obras no local seguem paralisadas e ainda não há uma previsão de quando serão retomadas, uma vez que a Prefeitura e os representantes da COPEM não chegam a um acordo. Sobre o assunto, a reportagem do Jornal da Cidade conversou com Júlio César de Oliveira, secretário municipal de Obras para saber se esse impasse será resolvido.

Em entrevista, ele explica que há uma decisão judicializada que afirma que parte do terreno da avenida presidente Vargas é de propriedade pública:

Clique e ouça Júlio César Oliveira

Nossa equipe entrou em contato com os representantes da COPEM, mas eles não quiseram se pronunciar. Enquanto isso, a Prefeitura de Pará de Minas segue finalizando as obras da avenida Presidente Vargas que ficou orçada em R$3 milhões. A revitalização, proposta em 2018 pelo executivo municipal, fechou retornos e abriu duas enormes rotatórias que causaram bastante polêmica.

Além disso, todo o canteiro central da via foi reconstruído como uma forma de dar mais acessibilidade e conforto aos praticantes de atividades físicas. Em toda a extensão da obra, nenhum investimento quanto ao escoamento de chuva foi realizado, o que também foi motivo de muitos questionamentos por parte da população.

Por Henrique Silva


Galeria de fotos

Clique nas imagens para ampliar: