Capa da Página REFLEXÕES sobre a civilização ocidental - Cultura - JC Notícias Capa da Página

Icone previsão PARÁ DE MINAS - 9º MIN 25º MAX

Cadastre seu e-mail e receba nossas novidades

Icone IconeNotícias - Cultura

01/07/2019 às 15:35h

REFLEXÕES sobre a civilização ocidental

Facebook

O homem criou um mundo diferente do mundo original ao qual todos os seres vivos pertencem.

Criou máquinas, aparelhos para aquecer no inverno e para refrescar no verão; meios de comunicação que ligaram o mundo todo, produziu alimentos práticos e rápidos no preparo. Cada país lutou e se impôs sobre outros para conseguir o “progresso” e o “conforto” da vida moderna.

Fez guerras pelo domínio das matérias primas necessárias ao funcionamento de todo o aparato que inventou. Assim, destruiu as comunidades e reinos africanos, asiáticos e americanos. Desestruturados em sua cultura original estes povos foram submetidos. A ordem mundial é que todos imitem seu modo de vida, consumam os produtos por eles fabricados.

O modo de vida “civilizado” se impôs e seus representantes são os “donos da verdade”. Hoje poucos povos escapam de seu controle. Se algum grupo se opõe a eles é taxado de “terrorista” que devem ser combatidos por serem inimigos do “mundo civilizado”. A mídia se encarrega de impor esta versão. Mas que mundo é este?

O preço que se paga para ter o conforto do mundo “civilizado” é a exploração do petróleo através do domínio de todos os países que o produzem. Também é fundamental a energia elétrica que é obtida por meio das usinas hidrelétricas e das nucleares, ambas perigosas destruidoras da natureza.

O lixo e a poluição gerados por todo este “progresso” é tóxico e a natureza não consegue anular seus efeitos.

Para produzir grande quantidade de alimentos intoxicam a terra e nós comemos alimentos causadores de doenças. A medicina progride, mas as novas doenças não param de matar.

O pior é que ninguém quer acordar! Estamos cada vez mais doentes, depressivos, obesos, cheios de estresse e síndrome do pânico.

Onde está aquele sorriso largo do homem que vivia sem eletricidade, que pisava descalço no chão de terra, respirava ar puro e bebia água viva? Onde estão aquelas frutas saborosas de estação, a carne de animais criados soltos. Onde está este homem que vivia até 100 anos sem ter ido ao médico?

Até quando o ser humano seguirá desgastando os recursos da natureza? Quando vai compreender que todos nós, gente, bicho, planta, terra, ar, água, minerais somos parte de um todo que tem seu equilíbrio próprio?

Rompemos a cadeia evolutiva natural. Não sabemos o que virá!


Galeria de fotos

Clique nas imagens para ampliar: