Capa da Página Presidente da Colômbia envia reforços a Cali após novos confrontos na região - Destaques - JC Notícias Capa da Página

Icone previsão PARÁ DE MINAS - 8º MIN 23º MAX

Cadastre seu e-mail e receba nossas novidades

Icone IconeNotícias - Destaques

10/05/2021 às 09:04h

Presidente da Colômbia envia reforços a Cali após novos confrontos na região

Facebook

Confrontos motivados pela greve geral na Colômbia deixaram oito feridos em Cali neste domingo (9). Grupos de civis armados dispararam contra manifestantes que integram um movimento indígena, que protestava contra o governo do presidente Iván Duque.

A imprensa local informa que todos os feridos são indígenas e que, dentre os oito feridos, três estão em estado grave.

Bloqueios provocam escassez de produtos e suprimentos na região, o que aumentou a tensão na terceira maior cidade da Colômbia, com 2,2 milhões de habitantes.

O presidente Iván Duque autorizou o envio de reforços para a Força Pública “para garantir a ordem pública na cidade e proporcionar tranquilidade à população”. E ordenou o deslocamento da equipe liderada pelos ministros da Defesa, Diego Molano, e do Interior, Daniel Palacios.

Duque também decretou medidas de restrições à mobilidade de circulação e lei seca na região.

O Exército Nacional garantiu que possui 2.100 homens destacados e mais 10 mil homens da Polícia Nacional para garantir o restabelecimento da segurança na região.

Ricos x Indígenas

“As famílias ricas de Cali se uniram à polícia (…). Atiraram indiscriminadamente contra o movimento indígena”, denunciou o deputado Feliciano Valencia, uma das lideranças indígenas, informou o “El País”, neste domingo.

O ataque ocorreu no setor de Cañas Gordas, na estrada que liga Cali a Jamundí, no departamento de Valle del Cauca, informou a Associação Indígena Cabildos del Norte del Cauca (ACIN).

“O assédio de civis armados persiste, com o acompanhamento cúmplice do exército, da polícia e do Esquadrão Móvel Antimotim Esmad”, informou a organização.

Cali é a grande cidade do sudoeste da Colômbia, perto da costa do Pacífico, que funciona como um corredor para o narcotráfico, e que há décadas enfrenta problemas de segurança, de gangues a grupos armados organizados.

Assolada por desigualdades, a situação em Cali piorou a partir de 28 de abril, primeiro dia da greve nacional convocada pelas centrais de trabalhadores e organizações estudantis. O movimento indígena aderiu às manifestações na cidade.

Os manifestantes fecharam estradas, ergueram barricadas e expulsaram a força pública, incapaz de controlar os excessos.

A Polícia Metropolitana de Cali acusou os indígenas de saques, vandalismo e “incitação ao terrorismo”.

Fonte: G1

Foto: Luis Carlos Ayala / AFP Photo

Galeria de fotos

Clique nas imagens para ampliar: