Capa da Página Cobrança de IPTU que gerou crítica de Sette Câmara a Kalil é de R$ 40 mil - Esporte - JC Notícias Capa da Página

Icone previsão PARÁ DE MINAS - 15º MIN 21º MAX

Cadastre seu e-mail e receba nossas novidades

Icone IconeNotícias - Esporte

ATLÉTICO MG

Cobrança de IPTU que gerou crítica de Sette Câmara a Kalil é de R$ 40 mil

28/10/2020 às 09:00h

Facebook

Na manhã desta terça-feira, o presidente do Atlético, Sérgio Sette Câmara, utilizou o Twitter para criticar a Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) pelo aumento na cobrança de IPTU sobre a sede do clube e as contrapartidas exigidas para o início das obras da Arena MRV. À tarde, a administração municipal - chefiada pelo ex-mandatário atleticano, Alexandre Kalil (PSD) - se posicionou sobre o tema e revelou que o acréscimo no valor devido foi de R$ 40.356,05 (referente ao período de 2015 e 2019).

Em nota, a prefeitura informou que, em novembro de 2019, o Atlético esteve entre os proprietários de 23 mil imóveis que foram "notificados a se pronunciar quanto a divergência de área construída dos seus imóveis, apurada pela Administração Tributária do Município, confirmando ou contestando a apuração fiscal".

De acordo com a administração municipal, o clube declarou que a área construída da sede "foi alterada de 2.284,09m² para 2.907,39m²", o que justificaria o incremento de R$ 8.071,21 no IPTU devido por exercício. Somados, os valores ultrapassam os R$ 40 mil.

Nas redes sociais, Sette Câmara havia disparado contra a administração de Kalil, mas sem citar o nome do prefeito, que se tornou seu desafeto na política atleticana.

"PASMEM! Se não bastassem os exageros da Prefeitura de BH ao impor contrapartidas extras de mais de 100 milhões para o nosso Estádio-Arena MRV, agora o ATLÉTICO recebe cobrança de revisão do IPTU da Sede, exigindo do Clube diferenças dos últimos 5 anos. CHEGA!!!!", publicou.

Na nota, a PBH também responde o mandatário atleticano sobre as críticas pelas contrapartidas exigidas para a construção do estádio: "A respeito da construção do estádio do Atlético, toda grande obra gera contrapartidas durante o processo de obtenção das licenças de órgãos ambientais e de trânsito, nas esferas municipal, estadual e federal".

Leia a íntegra da nota enviada pela Prefeitura de Belo Horizonte


Em novembro de 2019, os proprietários de 23 mil imóveis foram notificados a se pronunciar quanto a divergência de área construída dos seus imóveis, apurada pela Administração Tributária do Município, confirmando ou contestando a apuração fiscal.

Os contribuintes foram notificados no âmbito da segunda edição do Programa de Autorregularização das Informações do Cadastro Imobiliário Municipal (PACI).

Sete mil proprietários de imóveis, dentre eles o Clube Atlético Mineiro, informaram a área construída do imóvel e concordaram com os acréscimos de área informados.

A área construída da sede do Atlético foi alterada de 2.284,09m² para 2.907,39m², conforme informação prestada pelo próprio clube.

Por conta desta alteração, houve um incremento de R$ 8.071,21 no IPTU devido por exercício, considerando os lançamentos efetuados com base na área incorreta. Considerando os cinco exercícios revisados (2015 a 2019), promoveu-se o lançamento complementar do imposto no total de R$ 40.356,05.

A respeito da construção do estádio do Atlético, toda grande obra gera contrapartidas durante o processo de obtenção das licenças de órgãos ambientais e de trânsito, nas esferas municipal, estadual e federal.


Fonte: Super Esportes

Foto:  Bruno Cantini/Atlético

Galeria de fotos

Clique nas imagens para ampliar: