Capa da Página Senador anuncia candidatura alternativa, e CPI da Pandemia terá disputa pela presidência - Política - JC Notícias Capa da Página

Icone previsão PARÁ DE MINAS - 9º MIN 23º MAX

Cadastre seu e-mail e receba nossas novidades

Icone IconeNotícias - Política

19/04/2021 às 08:00h

Senador anuncia candidatura alternativa, e CPI da Pandemia terá disputa pela presidência

Facebook

O senador Eduardo Girão (Podemos-CE) anunciou que lançará candidatura à presidência da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia. Com a decisão de Girão, haverá disputa pela presidência, já que o grupo de senadores oposicionistas e "independentes" — que tem maioria na CPI — fechou acordo para apoiar a candidatura de Omar Aziz (PSD-AM).

De acordo com a página do Podemos em uma rede social, a candidatura de Girão é "contra o acordão de cartas marcadas para dominar a CPI da Pandemia".

O senador diz atuar com independência em relação ao governo. Ele foi o autor do requerimento de criação de uma segunda CPI, com o objetivo de investigar governadores e prefeitos, conforme pretendia o presidente Jair Bolsonaro.

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), decidiu então unificar as investigações em uma mesma comissão e apurar simultaneamente ações e omissões do governo federal (requerimento de Randolfe Rodrigues, da Rede-AP) e a aplicação de verbas federais enviadas a estados e municípios (proposta de Girão).

"Sou candidato a presidente da CPI. Espero que prevaleça a tradição do autor do pedido à frente da comissão. Designarei um relator que investigue com independência e isenção a União assim como verbas federais enviadas a Estados e municípios. É o que a sociedade espera e merece", escreveu Girão em uma rede social.

Além de Aziz na presidência, o acordo firmado pela maioria prevê na vice-presidência Randolfe Rodrigues, autor do requerimento original de criação da CPI, e na relatoria, o senador Renan Calheiros (MDB-AL).

A eleição que definirá os ocupantes dos postos dirigentes será na primeira sessão da comissão, no dia 22 ou dia 27, conforme informou o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG).

Segundo o senador Otto Alencar (PSD-BA), a ocupação dos postos de presidente, vice-presidente e relator já está “consolidada” porque o grupo ao qual pertence na CPI reúne sete dos 11 titulares da comissão. “Impossível mudar”, afirmou.

Com 73 anos, o parlamentar baiano é o mais velho da CPI e caberá a ele conduzir a reunião de instalação – eleição de presidente e vice – do colegiado.

Atendendo a uma determinação do ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG) leu na última terça-feira (13) o requerimento de criação da CPI. Na quarta (14), o plenário do STF referendou a decisão de Barroso e, na quinta (15), o presidente do Senado leu os nomes dos integrantes, último passo antes da instalação.

Fonte: G1

Foto: Pedro França/Agência Senado

Galeria de fotos

Clique nas imagens para ampliar: